quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Gargoyles

Produtora: Buena Vista Interactive
Lançamento: 1995
Gênero: Plataforma
1 Jogador


Por
Cosmão

Gargoyles é baseado no desenho Gárgulas, que passou no SBT em meados da década passada. Na verdade, eu nunca assisti esse desenho, mas, se a Wikipédia falou, tá falado.

Tudo se originou nos quadrinhos de uma revista da Disney, no qual a série fez seu debut, chegando até a televisão e inclusive foi produzida pela Marvel uma série de quadrinhos em 11 revistas. Pra quem conheceu, assistiu ou leu na época, saibam que o game aqui mostrado não segue lá muito a história das revistas e da TV.

No game controlamos Goliath, líder do Clã de Manhattan de gárgulas. Ele precisa recuperar o Eye of Odin, um talismã maléfico, criado pelos Vinkings, que pode transformar qualquer criatura que o possua. Seu grande vilão será Demona, o tal possuidor do talismã. Durante as fases é possível ficar por dentro de toda história, que é contada em pequenos pedaços a cada fase vencida.

Gargoyles chama a atenção pela movimentação dos personagens na tela. Se não fosse esse o motivo, nada mais aqui poderia agradar muito.

O jogo todo é muito escuro, a dificuldade é absurda e é muito fácil ficar perdido nas fases. Só de começo, são umas 4 ou 5 fases dentro do castelo Viking, abrindo portas, quebrando paredes e escalando muros, tudo pra sair vivo e conseguir passar de fase.

Tudo isso seria muito fácil se o seu personagem obedecesse de acordo com os comandos. O atraso é evidente quando se quer escalar paredes pulando de um lado pro outro.

Outra coisa irritante: os combates, algumas vezes, são frustrantes. Isso devido à colisão de impacto, o que muitas vezes ocasiona em danos no seu personagem. Os inimigos vão desde vikings armados com machados e bolas de ferro até seres estranhos, gárgulas e insetos gigantes.

A fases pouco mudam seu layout durante o jogo todo, sendo todas bem escuras, com muitas passagens escondidas, portas secretas e mecanismos que precisamos acionar como alavancas, ganchos, etc.

se existe algo que não se pode reclamar aqui são os gráficos

As músicas são básicas, não há nada a se destacar aqui nem canções que grudem na cabeça após um tempo. Tudo às vezes soa meio genérico demais, isso inclui fases, músicas e efeitos sonoros.

Na realidade, se não fosse a brilhante animação do jogo e até mesmo sua obscuridade compulsiva, seria mais um jogo medíocre de plataformas para acompanhar a febre dos quadrinhos ou desenhos. Gargoyles segue mais ou menos esse padrão, se destacando em alguns pontos e oferecendo muito pouco em outros.

um chefe aranhola gigante e o olhar desolado do nosso amigo numa plataforma mortal

É uma pena, pois a história original é bem interessante e poderia ter rendido um game, ao menos, melhor.

Prós: movimentação bastante caprichada / a história é bacana
Contras: repetitivo demais / jogabilidade descalibrada / dificuldade bem alta

Nota Final: 6.5

NEXT - Street of Rage 2

4 comentários:

  1. Cara, esse site é demais, parabéns...
    Quase todos os dias dou uma passada aqui pra matar a saudade da "boa" época dos games.
    Valeu!!!

    ResponderExcluir
  2. Verdade, todo dia venho visitar ele, vi o Cosmão divulgando o blog na comunidade do Mega Drive e desde então veio acompanhando SEMPRE.

    O Blog é show !!!! parabéns meu véio XD

    ResponderExcluir
  3. Valeu galera, obrigado por acompanharem o blog, em breve teremos novidades por aqui.

    ResponderExcluir
  4. Po eu acho Gargoyles um bom jogo, e é difícil bagarai.Joguei pouco ele pois a dificuldade acentuada me deixou um pouco frustrado hehehehe

    Mas esse aí ainda tento alguma coisa.

    PS: O Blog tá muito bom mesmo, parabéns Cosmo.

    ResponderExcluir