sábado, 21 de março de 2015

Tutorial: Maximus Arcade Front End



Ultimamente, um assunto tomou as rede sociais ao redor de quem curte uma jogatina retrô: o Infanto. O Infanto nada mais é que um aparelho baseado no Raspberry PI, que usa um front-end chamado Retropie para organizar roms e emuladores, o que pode ser considerado crime, já que tais programas e softwares são "ilegais". Não vou entrar no mérito do que é legal ou ilegal nesse post, mas é interessante notar que, salvo o trabalho que os caras tiveram pra organizar tudo (que não foi lá tanta coisa assim), cobrar 600 reais num aparelho desses pra mim é um roubo! Mas, cada um sabe onde dói o calo (ou o bolso).

Enfim, há um bom tempo, eu postei aqui no Shugames um tutorial simples e prático de como baixar e configurar o famoso Hyperspin, um dos front-ends mais bonitos e bem feitos já lançados. Por se tratar de um programa um tanto complexo de se configurar, descobri na raça como fazê-lo e dividi com o pessoal que frequenta o Shugames tudo que aprendi.

Bom, mas o Hyperspin é passado! Tanto é verdade que eu mesmo desisti de continuar usando ele pela complexidade na hora de configurar um simples joystick pra fazer o papel de teclado no programa. Por não ter por default o suporte à joystick, o Hyperspin fica dependente de um programa de terceiro para que você possa controlar o front-end via joystick e isso acabou por minar o resto de paciência que tinha sobrado. Mas, nem tudo dessa história foi jogado no lixo.

quinta-feira, 19 de março de 2015

Arkista's Ring (NES)


Desde quando criei o Shugames, tive como meta avaliar, principalmente, jogos que poucas pessoas tem conhecimento e que são, no mínimo, divertidos de se jogar. E toda vez que me proponho a escolher a análise de um jogo, a mesma pergunta me vem na cabeça: mas qual escolher? Com uma gama tão vasta que o uso de emuladores roms nos apresenta, é uma tarefa ingrata colher um jogo no meio de tantos exemplos bons.

Arkista's Ring veio num lampejo de conversa, na famosa rede social conhecida como Facebook. Ao avistar algumas fotos de jogatinas de um usuário, vi a foto desse jogo e perguntei qual era. Após ter a resposta, fui ver na minha infindável lista de jogos de NES e lá constava, quase como um jogo "virgem", Arkista's Ring. Eu jamais havia sequer testado esse game, no entanto, aquela imagem labiríntica do mesmo me atraiu e fui ver qual era desse Anel de Arkista. E, para minha surpresa, o jogo é bom a ponto dessa análise brotar do nada, assim como ele surgiu.

domingo, 15 de março de 2015

ESPECIAL: 10 Momentos Difíceis dos Games, 1ª Edição


Já há algum tempo estou pra escrever esse artigo, mas me faltava material e tempo para pesquisar, jogar e VIVENCIAR essa experiência. Contudo, mesmo provando um pouco do gosto amargo de fases e momentos complicadíssimos, ainda não juntei o suficiente pra mostrar pra vocês o que existia de mais complicado na época dos 8 e 16 bits! Sim, essa é apenas a primeira de muitas partes do especial 10 Momentos Difíceis dos Games!

Pretendo juntar aqui, momentos difíceis menos conhecidos. Claro, jogos complicados muitos já sabem de cabeça e poderíamos citar desde Megaman até Castlevania, Alex Kidd in Miracle World ou até o difamado (pela dificuldade) Ninja Gaiden. Mas, eu pretendo ir um pouco mais além desses jogos comuns em listas de "jogos difíceis". Além do tema abranger chefes/fases/estágios/lugares difíceis, vou citar minha experiência com cada um deles, mostrando que há sim, maneiras de se passar, contornar e de se vencer essas complicações programadas por verdadeiros demônios!

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Tutorial: Aplicando Patchs & Compactador GEMC



Olá jovens aventureiros no mundo dos retrogames! Hoje resolvi compartilhar com vocês o pouco conhecimento que tenho sobre roms traduzidas, as famosas roms "patcheadas", como dizem por aí. Vou falar sobre alguns programinhas bacanas e ensinar como usá-los. Sei que a maioria que faz uso da emulação já deve saber disso, mas é sempre bom deixar registrado pra quem ainda não entende ou simplesmente tem curiosidade de saber como funciona esse lance.

Além da tradução, pra não ficar um post muito magro, vou falar também de um compactador de isos chamado Gemc, muito usado em diversos sites que disponibilizam isos mega compactadas por esse aplicativo, facilitando seu download. Bom, chega de enrolação e mãos à obra!

domingo, 18 de janeiro de 2015

Kaizou Chounin Shubibinman Zero (Super Famicom - Satellaview)



Satellaview foi um acessório, no mínimo, interessante para o Super Famicom. Através desse aparelhinho e exclusivamente no Japão, era possível os jogadores baixarem e jogarem alguns jogos exclusivos pra ele no Super Nintendo japonês, por um canal exclusivo via satélite, com direito inclusive à premiações com base nos recordes gravados nos jogos. Claro, nem tudo eram flores devido à lentidão em alguns jogos, mas, a inovação trouxe alguns frutos interessantes à biblioteca do console.

Um desses frutos eu vos apresento hoje, Kaizou Chounin Shubibinman Zero.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

The Jetsons - Invasion of the Planet Pirates (Super NES)



Acho que nunca apareceu nenhum jogo da família Jetsons no Shugames. Pensando melhor, acho que são RARÍSSIMOS os jogos já feitos com essa família do futuro, mesmo o tema sendo tão bacana e convidativo. Poucos devem conhecer essa obra do Super NES, portanto, resolvi falar dele hoje, já que foi uma indicação do nosso amigo da Old Games FTW, Max "Caio" Carnage.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Retronado Soul Blazer [10]


Olá amigos do Shugames, retornando agora com Soul Blazer, na décima parte! Chegamos até o laboratório de Dr. Leo, um lugar praticamente abandonado com um labirinto MUITO chato de se passar. Let's go!

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Kyatto Ninden Teyandee (NES)


Kyatto Ninden Teyandee, mais conhecido por essas bandas como Samurai Pizza Cats, é um jogo da Tecmo para o Famicom, lançado exclusivamente no Japão e baseado no desenho animado homônimo. O porque do jogo ficar exclusivo aos japoneses sendo que o desenho saiu pra esse lado do mundo, só os japas sabem responder. O desenho, produzido pela Tatsunoko Productions (sim, a mesma de Tatsunoko vs. Capcom), fez um relativo sucesso, o que é mais estranho ainda o fato do JOGO não ter estourado no mundo todo. E, sinceramente, é um dos jogos mais divertidos do Nintendinho...

É fácil, hoje em dia, encontrar versões traduzidas de jogos que só viram a luz do sol no Japão. Claro, ainda há um ENORME caminho a percorrer, com muitas relíquias sequer tocadas por este lado do mundo e que ainda estão exclusivamente no idioma japonês, mas, graças aos esforços de diversos times de tradutores, hoje podemos jogar muitos deles que sequer sonhávamos existir. Kyatto Ninden Teyandee é mais um deles, é bem fácil encontrar a rom completamente traduzida pro inglês. Não que isso seja absolutamente necessário num jogo como esse, então, fica a seu critério.

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Tutorial: Snes 9X (emulador de Super NES)



Seguindo com os posts de tutoriais, lhes trago hoje um tutorial básico para conhecer, configurar e usar o Snes9X. Esse tutorial não é tão profundo a ponto de explicar TODOS os termos e funções do emulador de forma concisa e aprofundada, é mais voltado ao público leigo que, ultimamente, anda se aventurando e descobrindo a diversão na emulação e gostaria de saber um pouco mais sobre ela. Mesmo assim, havendo dúvidas ou sugestões, como eu sempre digo em todo tutorial, todo conhecimento é válido e merece ser compartilhado.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

World of Illusion (Mega Drive)



Começando mais um ano no Shugames, dessa vez pra fazer de 2015 um ano repleto de novidades aqui no blog. Sim, a phoenix down anterior falhou miseravelmente, mas dessa vez o negócio vai! E, nada mais justo do que começar o ano com um jogão do Mega Drive, o console 16 bits da Sega tão amado!

World of Illusion teve uma breve passada pelo blog no início de sua vida, em um formato de detonado, fazendo parte do Especial da Série Illusion que preparei na época. Como uma análise mesmo, é a primeira vez. Atendendo a pedidos, eis que vos trago World of Illusion em sua essência, um dos melhores jogos da geração 16 bits, um multiplayer bacanudo no Mega Drive!

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Meme Gamer: O que Você Jogou em 2014?


2014... um ano cheio de controvérsias, recheado de dúvidas, apoiado em planos que afundaram e... ops, chega de divagar sobre minha vida e problemas pessoais. Hoje, meio que re-inaugurando o Shugames 2015 (essa deve ser a décima quinta reinauguração do blog, mas, enfim...), resolvi, a pedido (quase escrevi peido) do meu colega Diogo Batista, contar sobre alguns jogos que joguei em 2014. Pois, se eu não apareci por aqui no blog pra atualizá-lo como sempre fiz, é porque andei muito ocupado realmente...

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Retronado Soul Blazer [9]


Depois de um aniversário desses, é hora de continuar tocando o blog! Chegamos na nona parte de Soul Blazer, esse RPG da Enix bem diferente de tudo que já joguei na vida. Estamos em Soul of Mountain House, a nova "fase" do jogo, que se passa numa caverna. Após os acontecimentos no enorme mundo submarino em St. Elles, é hora de dar uma mudada nos ares, chega de água... Após perambular pelo local vazio, vai notar que a única saída é ao norte. Ali mora a primeira dungeon, que vai libertar os moradores de Soul of Mountain House.

domingo, 27 de julho de 2014

Especial 5 Anos de Shugames: Os 100 Jogos Desconhecidos de SUPER NINTENDO!


Sem planejar nada, os aniversários do blog foram marcados por especiais que me custam DIAS para fazer, mas que deixam o blog muito mais completo. Desde, pelo que me lembro, o primeiro ano do Shugames, eu costumo reunir alguns jogos de determinado sistema em formato de lista. E, como de praxe no Shugames, os jogos geralmente são desconhecidos, sejam eles bons ou ruins, mas a maioria é desconhecida do grande público. E o post de hoje, comemorando 5 aninhos dele, não será diferente.

Sim amigos, eu reuni aqui 100 jogos do querido Super Nintendo, 100 jogos que, acredito eu, poucos de vocês conhecem. Se conhecerem metade eu acho muito, pois eu fui vasculhar nas entranhas dos pacotes de roms, testei jogo por jogo, renomeei, enfim, fiz o que podia pra poder montar uma lista que ao menos siga a proposta inicial e tenha um mínimo de qualidade. Eu espero que todos gostem! A lista não está em ordem de preferência, apenas numerei para ficar algo mais organizado, como é comum nestes posts aqui no Shugames.

E não é só isso: praticamente inaugurando o Canal Shugames do youtube aqui no blog, o especial se extende com mais 10 jogos, dessa vez hacks, alguns de qualidade, alguns bem conhecidos, mas a maioria totalmente desconhecida dos grandes fãs do console. Pois é, o Shugames anda extendendo sua abrangência e, mesmo que meu tempo seja escasso, eu arrumei um tempinho e estou com o canal aberto com alguns vídeos lá já postados.

O Canal Shugames, à princípio, vai se focar em Retronados, alguns deles inclusive de jogos que já passaram pelo blog, mas, dessa vez, comigo jogando e narrando os acontecimentos. Espero a compreensão de todos quanto ao aspecto sonoro, minha voz não é grande coisa e só agora eu pude arrumar um equipamento decente para gravar com um áudio de qualidade.

Bom, mas é isso. Com vocês, os 100 jogos do Super Nintendo que pouca gente conhece. E, pra complementar, mais 10 hacks que todos deveriam ao menos conhecer. Abraços à todos e boa jogatina!

terça-feira, 24 de junho de 2014

Dragon View (SNES)



O jogo de hoje é um RPG quase que desconhecido pro SNES. Quem jogou Drakkhen (alguém aí?) vai saber de cara do que se trata, já que, segundo minhas pesquisas, é uma continuação "não oficial" deste clássico do SNES. OK, acho que ninguém aqui deve conhecer Drakkhen, mas saibam que Dragon View muda completamente o estilo "uma turma numa emboscada num calabouço" pra "herói sozinho salvando a princesa". Na verdade, a única coisa que Dragon View herdou de Drakkhen foi uma certa particularidade no mapa. Vocês terão mais detalhes adiante...

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Sub-Terrania (Mega Drive)


Faz tempo que eu não falo sobre o Mega Drive por aqui, hein? Lembrado pelo leitor Ivo Campos, que deixou uma lista de jogos que gostaria de ver aqui no blog, resolvi pegar um dos games pra falar um pouco sobre o mesmo. O jogo em questão é um daqueles jogos que, assim que você descobre os emuladores, testa e acaba passando batido. Sub-Terrania é assim, um jogo, acima de tudo, difícil.

A missão principal em Sub-Terrania, como o próprio nome diz, é explorar os subterrâneos de uma colônia invadida por aliens, recuperando itens, peças para o pod que controlamos e resgatando pessoas, além de destruir a ameaça alienígena. Antes de cada fase, é dado ao jogador as missões a serem cumpridas. Geralmente coletar os sub-módulos, salvar alguns cientistas ou destruir alguma coiso do cenário ou aliens.


Apesar de parecer, nas palavras, um jogo comum de tiro/missões, Sub-Terrania mostra todo seu diferencial quando se começa a jogar pra valer.