quarta-feira, 19 de julho de 2017

Especial 8 Anos de Shugames: 70 Jogos de PC-Engine & PC-Engine CD!



Chegou a hora de comemorar os 8 anos de Shugames! Como é tradição por aqui, a maioria das comemorações do blog é feita por uma lista com vários jogos de um determinado console. Já passaram por aqui o Master System, Mega Drive, Super NES, NES, Arcades e até o Atari 2600. Desta vez, o escolhido é um  pequeno notável, conhecido por essas bandas como Turbografx-16, ou, como comumente é chamado na internet, PC-Engine, ou PCE.

Lançado em outubro de 1987 no Japão e em 1989 na Europa e nos Estados Unidos, o PCE fez um relativo sucesso, principalmente no Japão, onde a maioria dos seus jogos vendeu o suficiente pro console ser cultuado até hoje. Mais tarde, entre tantas versões diferentes, o console foi relançado com um drive de CD, comportando jogos maiores em mídia de disco, algo até então inédito.

Mas, o post de hoje não é apenas para falar do PC-Engine, mas sim, do seu principal atrativo: os jogos. Nessa matéria, tentei reunir os jogos do sistema que todos deveriam ao menos experimentar. Então, nessa lista teremos desde jogos mais conhecidos até alguns não tão conhecidos, jogos ótimos, jogos bons e alguns jogos razoáveis, mas que fazem parte da biblioteca do sistema. E, todo sistema tem jogo bom e jogo ruim também. Enfim, espero que gostem, pois deu trabalho pra montar isso e deixar a lista o mais abrangente possível! Vamos relembrar ou conhecer os jogos do PC-Engine e do PC-Engine CD!



Antes de mais nada, é sempre bom lembrar uma coisa nessas listas do blog: a ordem dos jogos não indica preferência do autor ou algum tipo de "do pior para o melhor". A numeração é unicamente para que seja mais fácil encontrar jogo "X" na lista. Dito isso, vamos em frente!

PARTE 1 - PC-Engine
Começaremos com uma lista de 50 jogos do PCE que todos deveriam conhecer ou pelo menos experimentar. São jogos bacanas... tá, nem todos são tão bacanas assim, mas tem seu diferencial e por isso merecem alguma atenção por estarem no PC-Engine. Boa leitura!

50 - Atomic Robo-Kid Special
Lançamento: 1990
Por: ULP

Atomic Robo-Kid recebeu inúmeros ports desde quando saiu para os arcades, em 1988. Em 1990, chegou a vez do PC-Engine receber sua versão, uma versão que ficou muito parecida com a dos arcades devido à qualidade da mesma. No game, controlamos uma espécie de droid (ou robô) armado com vários tipos de tiros diferentes, tendo a missão de trafegar por diversos cenários, alguns labirínticos, e destruir todos os inimigos que forem aparecendo.



Um dos diferenciais que torna Atomic Robo-Kid diferente da maioria dos shmups da época é, além dele ser um robô, a habilidade de caminhar ou voar pelos cenários, dando uma ampla gama de ataques e adicionando uma boa estragégia ao avanço do jogador. Não é um jogo punitivo, mas não espere facilidade também.



49 - Bonk's Adventure
Lançamento: 1990
Por: Hudson Soft

Conhecido como PC-Genjin e BC Kid em terras européias, Bonk fez sua estréia ao mundo no PC-Engine em 1989, até então exclusivamente para o console da NEC. Sendo um personagem símbolo do console, o game é uma grande aventura na idade das pedras, onde controlamos Bonk, um simpático menino que usa sua enorme cabeça para resolver seus problemas.



De fato, a jogabilidade, além do visual cartunesco caprichado, chama muito a atenção nesse jogo. Os controles são simples e intuitivos, Bonk pode dar sua cabeça para frente ou então saltar e mergulhar de cabeça nos inimigos desavisados. Além disso, ele usa sua boca para escalar paredes e ainda fica furioso quando consegue comer um belo e suculento pedaço de carne, saindo destruindo tudo em seu caminho.



48 - Cross Wiber - Cyber Combat Police
Lançamento: 1990
Por: Face

Nesse jogo controlamos um policial com o dever de limpar a cidade das máquinas que tomaram conta de tudo. Com um apelo meio Power Rangers de ser, saímos por aí distribuindo socos e chutes, enquanto tentamos nos manter vivos no meio de um monte de inimigos bizarros.



A premissa do game lembra um pouco a mecânica mostrada em Vigilante, dos arcades: saia batendo e chutando todos. Só que em Cross Wiber, temos algumas boas novidades, como fases em um puro shmup horizontal. É um jogo divertido, mas que pode se tornar repetitivo ao extremo conforme as fases seguem.



47 - Darkwing Duck
Lançamento: 1992
Por: Turbo Technologies Inc.

Eis um jogo RUIM, mas ruim mesmo, com o lendário pato espião, Darkwing Duck. Diferente da ótima versão do NES, aqui temos um jogo com controle horríveis, detecção de colisão praticamente inexistente, itens escassos e uma dificuldade absurda. Não bastasse isso, a sensação de estar perdido no jogo é enorme, você nunca sabe ao certo pra onde ir e o que fazer.



Em aspectos gráficos, o jogo é bonito, Darkwing Duck mesmo é um personagem grande e bem desenhado na tela e tudo tem um ar de desenho animado no jogo. Se não fosse esse design bizarro de fases (subir ruas desviando de skatistas?) e essa detecção de colisão completamente mal feita, o jogo teria tido mais destaque na plataforma. Mas por que ele apareceu na lista então? Por dois motivos! Primeiro, como curiosidade! Segundo, apenas para lembrá-los de uma coisa: fiquem com a versão de NES.



46 - The Legendary Axe
Lançamento: 1988
Por: Victor Musical Industries

Diferente do jogo anterior dessa lista, The Legendary Axe é um dos melhores jogos do PC-Engine. Ele mescla de forma interessante estilo de jogos como Castlevania e Rastan, com um toque de Golden Axe pelo personagem principal usar um machadão como arma. Além disso, o visual dele é muito chamativo, com ótimos gráficos e animações dos personagens.



O level design de Legendary Axe, aliado à sua dificuldade moderada, fazem dele um clássico instantâneo do sistema. Existe também uma segunda versão do jogo, mas que perdeu um pouco da essência do original e se parece mais com Rastan, da Taito. De qualquer forma, este é um excelente jogo exclusivo da plataforma da NEC.



45 - Power Gate
Lançamento: 1991
Por: Pack in Video

Uma das melhores coisas quando você se propõe a fazer uma lista grande de jogos de um sistema, é justamente descobrir jogos novos, ainda mais se tratando de um sistema até bem pouco conhecido como o PC-Engine. Power Gate é um jogo que me lembrou muito Aerial Assault do Master System, seja pela temática de aviões de guerra, seja por ser um ótimo shmup (navinha). O jogo parece lento no começo, mas é só pegar os primeiros power-ups pra perceber que ele é robusto e bem difícil.



A trilha sonora é outro chamariz de Power Gate. Temas rápidos, grudentos, bem casados com o jogo em si, tem tudo pra cativar o jogador. Realmente, uma pérola num mar de jogos excelentes desse gênero para o PC-Engine.



44 - Turrican
Lançamento: 1991
Por: Accolade

Turrican do PC-Engine não é muito diferente das outras versões. Excetuando uma animação um pouco melhor, todo o resto é igual, inclusive a dificuldade enorme! É quase impossível evitar morrer nesse jogo, já que os inimigos parecem vir em ondas e arrancam toda sua vida se você não estiver acostumado com os controles do jogo.



Aliás, controles devem ser a maior dificuldade aqui: apesar de ser um run gun, em Turrican você não consegue atirar pra cima, o que acaba fazendo uma falta enorme num jogo desses!



43 - Valkyrie no Densetsu
Lançamento: 1990
Por: Namco

Sendo sequência de um jogo de Famicom e tendo saído primeiramente nos arcades, Valkyrie no Densetsu é um game tipo shmup, mas com uma heroína que trafega por planícies, cavernas e outros lugares místicos. Seu poder está em sua espada, que atira projéteis e pode ser melhorada nas lojas do jogo. Mesmo estando em japonês, dá pra jogar tranquilamente, apesar do jogo ser bem difícil (herança dos arcades).



O visual do jogo é muito bem feito, além das músicas serem caprichadas também. É difícil você largar o game depois de começá-lo, pois tudo nele acaba atraindo: diversão, controles, gráficos e desafio. Valkyrie no Densetsu ainda teve um port para Playstation e para celulares japoneses mais recentemente, em 2005.



42 - Vigilante
Lançamento: 1989
Por: Irem

Vigilante segue os passos de suas outras versões, para Arcade, Master System e afins. É o mesmo jogo, mas com um visual um pouco mais caprichado, notando-se pela variedade maior de casas na rua, maior quantidade de inimigos e detalhes gráficos. Apesar disso tudo, eu acho que o som dele foi piorado, tudo parece correr numa midi bem mal trabalhada.



Vigilante é um jogo carismático, seja em qual versão for. Então, se você já gosta do original, vai acabar gostando dessa versão do PC-Engine também, apesar do som um pouco piorado.



41 - Magical Chase
Lançamento: 1991
Por: Palsoft/Quest

Trata-se de um belo shmup diferenciado para o PC-Engine. Aqui controlamos uma espécie de bruxinha (semelhanças com Cotton) chamada Ripple, munida de sua vassoura e mais dois ajudantes estrelas, com a missão de capturar seis demônios que ela mesmo acabou soltando por acidente de um livro mágico. Além de colorido e com boas músicas, o jogo cativa por ter um gameplay simples e fácil de se acostumar.



Durante o jogo coletamos alguns cubos azuis e verdes que dão dinheiro, podendo ser gasto em lojas que aparecem no meio das fases. Ripple possui uma barra de energia, o que torna menos frustrante o confronto com inimigos e diferencia Magical Chase dos demais shmups. Power-ups para Ripple podem ser comprados nas lojas, bem como energia extra e até mesmo melhorias para a vassoura, como maior velocidade. Recomendo bastante!



40 - Alien Crush
Lançamento: 1988
Por: Naxat

Alien Crush vem da mesma escola de Devil's Crash, para o Mega Drive, mas ambientado em uma mesa com toda a temática de aliens e monstros, ao invés dos demônios de Devil's Crash. Aqui o objetivo é o mesmo: fazer pontos e destruir os chefes escondidos em lugares de difícil acesso na mesa.



Diferente dos outros jogos da série, essa versão do PC-Engine tem um revés que, ao meu ver, conforme o tempo que se joga, pode incomodar bastante: a mesa é dividida em duas telas. Ao invés da câmera acompanhar a bolinha como na versão do Mega Drive, aqui a tela pisca toda hora que se sobe pra parte alta da mesa ou se cai, tornando-se difícil acompanhar a bolinha se você ficar mudando de tela muitas vezes. Fora isso, o jogo é divertido.



39 - Double Dungeons
Lançamento: 1989
Por: NCS/Masaya

Joguinho interessante e frustrante ao mesmo tempo. Aqui o negócio funciona como os labirintos do primeiro Phantasy Star, inclusive com um visual bastante fluído. Escolhemos um dos vários labirintos para explorar enquanto lidamos com gosmas verdes, abelhas, formigas, monstros e todo tipo de inimigo lá dentro. Os combates são por turnos e é possível evitá-los desde que você não toque nos inimigos.



Ao vencer, experiência e dinheiro são ganhos. Se por acaso morrer em batalha, voltará ao início do labirinto, mas mantendo seu nível e sua experiência (seu dinheiro é perdido também). É um jogo curioso, mas confuso e que vai depender de um mapa à parte sendo desenhado se quiser obter êxito.



38 - Juuouki
Lançamento: 1989
Por: NEC Avenue/SEGA

Esse aqui é bem conhecido da galera da Sega principalmente, já que Altered Beast vinha com o Mega Drive original. Aqui no PC-Engine, além do nome ser Juuouki (por ser uma versão japonesa), a versão é bastante competente, mas tem um problema grave com a detecção de colisão, tornando uma versão pouco amigável pra quem já conhece a versão do console da Sega.



Em termos de visuais, o jogo não faz feio, tendo inclusive alguns efeitos não vistos na versão do Mega Drive, como os membros dos inimigos voando pra frente da tela. Fora isso, todo o resto é praticamente igual, mudando alguns tons nas cores do protagonista e de alguns inimigos.



37 - Ninja Ryukenden
Lançamento: 1991
Por: Hudson Soft/Tecmo

Conhecido por essas bandas como Ninja Gaiden, a versão para o PC-Engine traz algumas diferenças gráficas. Comparando-a com a versão de NES, temos um visual melhor acabado e menos "sujo", o que pode ser bom pra alguns e não tão bom assim para outros. Em termos de controles, as coisas meio que se igualam, principalmetne na jogabilidade, que permanece a mesma.



É interessante pensar que a Tecmo, quando portou os jogos para o Super NES naquela coletânea, optou pela versão do NES ao invés de colocar essa versão do PC-Engine no pacote, haja vista que poucos devem ter conhecido a mesma, afinal, o PC-Engine não foi tão conhecido assim nesse lado do planeta. De qualquer forma, hoje o jogo está disponível para que todos experimentem e serve como um bônus pra quem já conhece decorada a versão do NES!



36 - New Adventure Island
Lançamento: 1992
Por: Hudson Soft

Eis uma ótima versão de um jogo famoso do NES para o PC-Engine. Além do visual revitalizado no console da NEC, o jogo não perdeu as características originais e ainda incluiu algumas novidades na jogabilidade, como o bumerangue como arma, novos inimigos e design levemente diferente nas fases.



Apesar de ser praticamente o mesmo jogo (itens em ovos, frutas pra pegar no caminho, tempo correndo sem parar), vale a pena jogar New Adventure Island. É como se fosse o original, mas com uma roupagem toda 16 bits!



35 - Air Zonk
Lançamento: 1992
Por: Hudson Soft/RED

Nosso amigo Bonk pegou um óculos escuro estiloso e se tornou Air Zonk, um jogo de navinha muito bacana e exclusivo do PC-Engine. Aqui controlamos Zonk, o herói do jogo, com a missão de salvar o mundo dos inimigos e todo aquele blablabla de sempre. O importante a ser dito é o seguinte: se você gosta do gênero shmup, vá correndo jogar Air Zonk.



Além de muito divertido, o jogo ainda conta com uma trilha sonora muito interessante, visual caprichado e uma dificuldade não tão punitiva como a maioria dos jogos de navinha da época. Recomendadíssimo!



34 - R-Type
Lançamento: 1988
Por: Hudson Soft/Irem

Baseando-se nas inúmeras conversões para os diversos consoles que R-Type teve, posso dizer que a versão para o PC-Engine é uma das que mais se aproxima da original, de arcade. Além do visual manter a qualidade do mesmo, o aspecto sonoro também merece ser mencionado, já que tudo foi mantido quase que realmente fiel.



R-Type é um jogo já bem conhecido do pessoal, principalmente de quem curte jogos de navinha. A versão do PC-Engine é mais uma das muitas lançadas, mas que vale a sua atenção também.



33 - Bomberman '93
Lançamento: 1992
Por: Hudson Soft

Existem algumas versões de Bomberman para o PC-Engine. Além desta de '93 e do primeiro jogo, temos também a '93 Special (que é uma versão voltada apenas para o multiplayer) e o Bomberman '94, que aliás foi a versão convertida para o Mega Drive na época. Como a '93 é a menos comentada, resolvi pegar ela pra colocar no especial.



Acredito que todos devam conhecer Bomberman. Mas essa versão '93 traz algumas idéias que poderiam ter seguido para os outros jogos posteriores da franquia. Por exemplo, quando você limpa a tela dos inimigos, os blocos que contém itens ficam piscando, facilitando e muito a sua busca por itens sem tornar a tarefa cansativa. Recomendo bastante a jogatina dele.



32 - Bonk's Revenge
Lançamento: 1990
Por: Hudson Soft/RED

Sequência direta de Bonk's Adventure, em Revenge o visual levou um tapa e algumas novidades foram incluídas, como fases maiores, mais poderes para Bonk e alguns bônus diferentes. Todo o resto é a velha e querida fórmula de Bonk's Adventure, sem tirar nem por.



Por ser um símbolo do console, poderiam ter caprichado mais em seu maior mascote, mas Revenge ainda garante boas horas de diversão com um gameplay sólido e ótimos controles! Pra quem curte o gênero plataforma, é imperdível!



31 - Die Hard
Lançamento: 1990
Por: Pack in Video

Die Hard me lembra, guardadas as devidas proporções, o primeiro Metal Gear para MSX/NES. Talvez pela visão superior, ou pela temática inicial numa selva, um homem armado tendo que se virar sozinho, sei lá. Os gráficos do jogo são bem agradáveis e os controles, apesar de duros, são fáceis de se acostumar.



Pelo caminho, podemos entrar em alguns edifícios e matar os inimigos lá dentro, que geralmente deixam recuperadores de energia. São várias armas que podem ser encontradas também, todas com munição limitada, o que adiciona alguma estratégia ao jogo, já que, se ficar se munição, terá que se virar com socos apenas. Além disso, seu personagem pode saltar e atirar durante o salto, o que deixam as coisas mais dinâmicas.



30 - Mr. Heli no Daibouken
Lançamento: 1989
Por: Irem

Eis um port direto dos arcades para o PC-Engine - e exclusivo pra ele também! Mr. Heli é um jogo de estratégia e tiro, no qual controlamos um pequeno e simpático helicóptero com a missão de coletar diamantes enquanto despacha seus inimigos em terra ou pelo ar. O game é criativo por misturar mecânicas diferentes no mesmo gameplay, além de exigir uma atenção extra do jogador por conta dos diversos percalços pelo caminho.



Aqui é preciso destruir tanto os inimigos que vem pela frente, por trás, por cima e também de baixo. Para isso, temos um botão que atira pra frente, outro que atira pra cima e, quando pousamos o helicóptero, o botão que atira pra cima joga bombas no solo. Os blocos de terra devem ser destruídos para coletar diamantes, que valem dinheiro e permitem comprar novos equipamentos em lojas escondidas no cenário. É um game muito viciante e criativo, mas que exige um bom pulso para conseguir dominá-lo.



29 - Metal Stoker
Lançamento: 1991
Por: Face

Com um estilo que lembra muito Granada do Mega Drive, em Metal Stoker controlamos uma pequena nave em vários corredores labirínticos, fazendo uso apenas de seus canhões para eliminar os inimigos no caminho. O jogo todo é dividido por setores, onde no final de cada um, um pequeno chefe aparecerá. O visual do jogo é ótimo, assim como seus controles, bastante simples de aprender.



A dificuldade em Metal Stoker é manobrar a nave corretamente e avançar devagar, tornando ele um jogo bem cadenciado. Não adianta sair correndo tentando furar os bloqueios inimigos, isso só vai atrasar sua vida e lhe tirar preciosas vidas. É possível, com o segundo botão do controle, acionar o "strafe", que consiste em fixar o canhão da nave em uma direção enquanto percorre outra. Esse movimento é essencial em diversas partes do jogo, já que o mesmo, ao menos no início, é todo labiríntico de uma via só.



28 - Ghost Manor
Lançamento: 1992
Por: Turbo Technologies Inc./Icom

Ghost Manor, à princípio, me lembrou um pouco Ghouls'n Ghosts, talvez pela temática do jogo. Ao começar a jogar notam-se claras diferenças, principalmente no protagonista e nos controles: é difícil manter o personagem vivo nesse jogo, assim como em Ghouls'n Ghosts, mas pelos motivos errados.



Os controles do personagem são escorregadios demais e ele morre ao simples contato com o fogo. Além disso, eu caí num buraco logo no início e precisava encontrar uma chave pra poder subir, só que a mesma fica num local bem alto e cercado de... fogo. Seu personagem ainda pode atacar usando uma espécie de poder roxo, mas é limitado. Se quiser experimentar, vá em frente, mas vá sabendo que a coisa é muito mais complicada do que aparenta.



27 - Dragon Spirit
Lançamento: 1988
Por: Namco

Mais um jogo portado dos arcades, mais um port de qualidade para o PC-Engine. Guardadas as devidas proporções, essa versão de Dragon Spirit é ótima. Tem bom visual, controles ótimos e uma dificuldade bem acentuada, eu diria que até mais acentuada que a versão de NES.



Em Dragon Spirit comandamos um pequeno dragão num jogo basicamente de navinha, podendo atingir inimigos com tiros de fogo tanto no alto quanto em terra, no cenário lá embaixo. Isso agrega um pouco de estratégia ao título, fazendo com que o jogador fique atento à todo momento no que acontece na tela.



26 - Jackie Chan's Action Kung Fu
Lançamento: 1991
Por: Hudson Soft

Muito antes de Jackie Chan ser o queridinho do cinema, jogos bons com ele já pintavam nos videogames da época. Esse jogo em especial, Action Kung Fu, recebeu versões para o NES e PC-Engine. Ambas são bem parecidas, mas guardam suas peculiaridades. São mínimas, mas existentes.



Além do visual no PC-Engine ser melhor (o que é óbvio), aqui temos diferenças também no gameplay (mais firme e preciso no console da NEC) e algumas diferenças nos bônus encontrados também. Fora isso, temos o mesmo ótimo jogo de plataforma. Se ainda não conhece, recomendo ambas as versões, com forte ênfase nesta do PC-Engine.



25 - Psycho Chaser
Lançamento: 1990
Por: Naxat

Trata-se de um belíssimo "shump de robôs", com scroll vertical automático. É bem frenético, cheio de power-ups e, naturalmente do estilo, difícil pra burro! O visual do jogo é ótimo, com seu personagem sendo um robô enorme na tela. Os inimigos também não ficam pra trás, trazendo uma bela seleção de sprites que dificilmente se repetem.



Apesar de ser algumas vezes frenético e difícil, dá pra se virar bem em Psycho Chaser caso você insista bastante e decore alguns trechos. É um jogo difícil, mas nem de longe punitivo. São muitos power ups e upgrades que o jogador pode fazer na sua máquina de guerra, tornando ele cada vez melhor a cada etapa vencida. Definitivamente, recomendado!



24 - Son Son II
Lançamento: 1989
Por: NEC Avenue/Capcom

Desenvolvido pela Capcom em conjunto com a NEC, Son Son II é mais um jogo que conta a história de Son Goku, o menino com rabo de macaco, baseado na lenda chinesa Monkey King. O game em si é um ótimo jogo de plataforma, bem acabado em todos os sentidos, caprichado no visual, nos aspectos sonoros, jogabilidade e na dificuldade também. É um daqueles jogos de plataforma prazerosos de se jogar e de se explorar também.



Controlando Son Goku, fazemos uso do seu tradicional bastão para bater nos inimigos. Muitos deles vão derrubar frutas, que valem dinheiro. Com essa graninha, dá pra comprar upgrades pro personagem em lojas espalhadas em lugares escondidos. Alguns upgrades são vitalícios, outros, como repositor de energia ou até mesmo magias, são limitados. Comece a jogar isso aqui e veja a hora sumir de tão bom que é.



23 - Dungeon Explorer
Lançamento: 1989
Por: Hudson Soft/Atlus

Com um aspecto de jogabilidade muito similar à série Gauntlet, Dungeon Explorer começou sua jornada no PC-Engine e acabou indo parar até mesmo no Super Famicom. O primeiro jogo da série, no entanto, ficou restrito ao console da NEC e não faz feio pra muito jogo da época e até mesmo depois dele.



Controlando um dos 8 (sim, oito) personagens de diferentes classes, seguimos por mapas abertos cheios de inimigos e também por algumas cidades, como num RPG tradicional. As dungeons, como o próprio nome do jogo entrega, são o prato principal, então, estar perdido nelas enquanto mata inimigos e evolui seu personagem é a tarefa mais comum aqui. Mesmo assim, o jogo cativa pelas possibilidades de exploração, variedade de personagens e pela jogabilidade bem divertida.



22 - Final Blaster
Lançamento: 1990
Por: Namco

Final Blaster, um excelente shmup para o PC-Engine com umas das trilhas sonoras mais marcantes do sistema também! Apesar da dificuldade alta e uma curva de aprendizado acentuada, o jogo faz bonito com ótimos visual, trilha sonora espetacular e controles ótimos. Sendo um jogo de navinha, é natural que power-ups apareçam e por aqui eles vem em dois tipos, tanto para melhorar seu tiro quanto pra melhorar a sua nave, adicionando os famosos "options" à ela.



Aliás, essa é uma característica de Final Blaster: ele empresta diversos conceitos e até mesmo inimigos e trechos de outros jogos famosos. Em uma determinada parte, por exemplo, encontrei aqueles quadrados rodando no ar similares aos existentes em Xevious, por exemplo. Não deixa de ser uma bela homenagem, mas Final Blaster consegue brilhar por suas qualidades próprias. Recomendo para os "navinheiros" e até pra quem não é muito fã, vai acabar gostando também.



21 - 1941 - Counter Attack
Lançamento: 1991
Por: Hudson Soft/Capcom

Counter Attack saiu para PC-Engine em 1991 e é mais uma das inúmeras versões dessa série que perdura até os dias atuais. No console da NEC, a coisa alcança outro padrão em termos frenéticos: incrívelmente tudo acontece mais rápido que o normal por aqui, o que acaba dificultando mais ainda o jogo que já é difícil por natureza.



Apesar disso, o visual dele compensa bastante, além do fato do jogo ter continues infinitos (pelo menos eu gastei vários deles e nada de acabar). As músicas ficaram inferiores, repetitivas demais, mas os efeitos sonoros seguem o padrão "arcade" de ser. É um jogo pra quem já manja bem de jogos de nave, pois ele é implacável já na primeira etapa. Não deixa de ser, entretanto, uma boa opção de jogatina no PC-Engine.



20 - Legend of Hero Tonma
Lançamento: 1991
Por: Irem

O PC-Engine foi o único console de mesa por muitos anos a ter Legend of Hero Tonma em sua biblioteca exclusivamente. Portado direto dos arcades, o game de plataforma da Irem (famosa por R-Type) faz bonito no console da NEC. Controlamos Tonma por fases repletas de inimigos, coletando moedas em baús além de power ups para melhorar seu ataque. Uma mínima encostada no inimigo te leva uma preciosa vida e te faz retornar um pedaço da fase.



Implacável como todo jogo da Irem, Legend of Hero Tonma no PC-Engine não mudou sua natureza. É ainda um jogo bem difícil, dependente de decorar as fases pra poder se dar bem. O visual dele é bem agradável, assim como os efeitos sonoros e a música que acompanha o herói. Pode jogar sem medo.



19 - Terra Cresta II - Mandrer no Gyakushuu
Lançamento: 1992
Por: Nichibutsu

Mais um jogo de navinha muito interessante para o PC-Engine, que não cansa de nos surpreender com ótimos jogos. Terra Cresta II é bem difícil, bem divertido e com ótimos visuais de deixar qualquer fã do gênero babando. Além disso, como eu já mencionei, a dificuldade aqui é bem elevada, mas o jogo não é tão punitivo pois te dá várias vidas pra começar jogando.



O game ainda conta com alguns modos de jogo interessantes, como os modos com tempo contado. Neles, o objetivo é conseguir fazer o maior número de pontos com o relógio cronometrado, que pode ser de 2 ou 5 minutos. De fato, é um incentivo e tanto para a jogatina de placares!



18 - Neutopia
Lançamento: 1989
Por: Hudson Soft

E eis que chegamos no "Zelda do PCE". Neutopia fez um relativo sucesso entre os fãs do sistema na época, pois ele combina o que existe de melhor no gênero, lembrando e muito o clássico da Nintendo. Controlando um guerreiro, nosso objetivo é reaver os medalhões mágicos e salvar o mundo, tendo que, pra isso, desbravar masmorras, campos e todo tipo de lugar repleto de inimigos, enquanto juntamos experiência, dinheiro e novos armamentos.



De fato, o jogo é bem chamativo até nos dias de hoje. Tanto o visual quanto as músicas e efeitos sonoros de Neutopia estão entre o que há de melhor no gênero. Talvez minha única reclamação mesmo sejam os controles: é impossível, por exemplo, andar nas diagonais. E esse fator que parece simples, num jogo como esse, faz uma falta enorme. Tirando isso, dá pra passar dias jogando Neutopia e se divertindo enquanto explora o mundo. Uma continuação para Neutopia saiu em 1992 nos EUA e também vale muita a pena a jogatina!



17 - Ninja Spirit
Lançamento: 1990
Por: Irem

Mais uma conversão decente de um jogo arcade pro PC-Engine. Ninja Spirit, antes de mais nada, é implacável! Controlamos um ninja armado com uma espada mágica, pegando power ups, matando inimigos e tentando se manter vivo. No mesmo esquema de Shinobi, onde um hit é fatal pro ninja! Mas aqui o problema é quando a tela se enche de inimigos - e isso é bem comum no jogo!



Contando com um belo visual e uma dificuldade absurda, Ninja Spirit é um daqueles jogos em que é preciso morrer muito e ir decorando o padrão das fases, de onde aparecem inimigos e os power ups adequados pra cada situação. Recomendo, mas pra quem tem paciência pra aprender a jogar.



16 - Dragon's Curse
Lançamento: 1990
Por: Hudson Soft

Trata-se da versão PC-Engine de Wonderboy Dragon's Trap. É idêntica à versão de Master System, mas, claro, com o visual de um 16 bits, além das músicas retrabalhadas para o sistema da NEC. Pra quem gosta do original, é uma boa pedida, já que o mesmo se parece mais com um remake 16 bits do que outra coisa.



A conversão foi bem interessante. Tanto as músicas, como o visual, foram retrabalhados de forma a aproveitar o potencial do PC-Engine. Existem algumas singelas nuances nos gráficos, como uma animação mais fluída, personagens levemente maiores e cenários mais caprichados.



15 - Final Soldier
Lançamento: 1991
Por: Hudson Soft

Fazer listas grandes de jogos menos conhecidos causam um problema sério (além do tempo para serem feitas): você acaba enroscando em vários jogos excelentes e desconhecidos! No caso do PC-Engine, são vários jogos que eu tive que largar pra poder continuar escrevendo, mas que provavelmente voltarei à eles o mais rápido possível! E Final Soldier é um deles!



Do gênero shmup (navinha), Final Soldier é talvez um dos jogos mais amigáveis do estilo. Tanto é que cheguei na terceira fase sem morrer nenhuma vida, apenas fazendo uso inteligente das bombas e dos vários tipos de tiros diferentes. A jogabilidade dele é uma delícia, assim como os controles e o visual bem acabado. Pra fechar o pacote, o jogo conta com músicas maravilhosas, que grudam no seu cérebro mesmo após desligar o jogo. Vá jogar agora!



14 - Mesopotamia
Lançamento: 1991
Por: Atlus

Também conhecido como Somer Assault, em Mesopotamia controlamos um ser que mais parece uma daquelas molas de brinquedo, mas preso no cenário com o objetivo de avançar e chegar até o fim dos labirintos. Para isso, contamos com canhões no corpo dessa mola, para atirar nos obstáculos e inimigos pela frente. Unindo uma jogabilidade completamente diferente do padrão e uma dificuldade alta, bem por conta disso também, a Atlus criou um jogo bem diferente.



Ao iniciar o game, pode-se escolher sua data de nascimento, o que me parece que não interfere em muita coisa. O porém de Mesopotamia é que ele se torna repetitivo rápido. Mesmo com diversos power ups que os inimigos soltam, a jogabilidade praticamente não muda. Aliada à dificuldade alta, é mais provável que você desista do jogo logo na segunda fase...



13 - Toilet Kids
Lançamento: 1992
Por: Media Ring

História: menino vai ao banheiro fazer o "número 2" e a privada explode, jogando-o num mundo bizarro onde ele controla uma nave... Sim amigos, Toilet Kids é justamente isso que você pensou: um menino montado numa privada que atira, num mundo com temática inteira baseada em... fezes.



Não sei de quem foi a idéia original do jogo, mas, apesar do tema de gosto duvidoso, o jogo funciona até que bem para o gênero de navinha. Os controles da... privada voadora, são decentes e a jogabilidade funciona num esquema parecido com Dragon Spirit, onde temos que acertar inimigos no ar no solo. Ah sim, a dificuldade é extrema.



12 - Batman
Lançamento: 1990
Por: Sunsoft

Esse é um dos jogos do Batman mais diferentes e mais divertidos já feitos! Controlamos o homem morcego por labirintos cheios de inimigos, capangas e itens espalhados. Os itens, muitas vezes, valem pontos, mas existem alguns que dão power-ups para o herói, além de vidas e energia. O objetivo sempre é achar a saída de cada fase, que vai se tornando cada vez mais complicada.



O visual meio infantil, por mais incrível que pareça, deu muito certo nesse jogo. Além disso, as músicas e efeitos sonoros são ótimos, assim como a dificuldade não apelativa e os controles ótimos. É um jogo pra se jogar calma, entretanto. No início, você logo pega o jeito, mas os inimigos nas fases adiantadas mudam padrão e armam até emboscadas nos labirintos, te obrigando a aprender o uso de alguns itens.



11 - Aldynes
Lançamento: 1991
Por: Hudson Soft

Mais um excelente jogo de navinha pro PC-Engine, mas dessa vez horizontal. Aldynes é um jogo bastante implacável com novatos no gênero, vide o meu progresso no jogo que foi pífio. Mas, mesmo assim, deu pra curtir bastante a trilha sonora dele, além dos controles responderem muito bem. Em Aldynes, o sistema de power-ups conta com os famosos "options", que podem ser dispersados da nave principal para agirem independemente, algo muito similar com a R9 de R-Type.



O visual do jogo é muito bacana. Mesmo sendo bem difícil, é um daqueles jogos que dá gosto de tentar inúmeras vezes só pra ver os chefes ficando cada vez maiores na tela.



10 - Ordyne
Lançamento: 1989
Por: Namco

Esse é outro shmup horizontal, mas dessa vez com uma temática um pouco mais infantil. Ordyne é um jogo divertido onde somos um piloto de um avião que parece ter saído de algum desenho animado. Seus inimigos seguem o padrão "infantilizado" do jogo, com muito colorido vindo de todos os cantos da tela.



Mas não se engane pelo visual: Ordyne é um jogo bastante implacável com o jogador. Pra começar, os power-ups aqui só podem ser comprados nas lojas que aparecem nas fases vez ou outra. Para isso, será preciso juntar pontos nos inimigos. Se destruir um conjunto dos mesmos inimigos, um balão com mil pontos vai aparecer flutuando. É a única forma de conseguir se fortalecer para os chefes.



9 - Burning Angels
Lançamento: 1990
Por: Naxat

Burning Angels é outro shmup para o PC-Engine, e outro jogo de nave com dificuldade bem alta. Aqui, uma das principais dificuldades é manter seus power-ups e os "options" que surgem durante o jogo. É difícil desviar de tudo, já que o jogo é bem frenético.



Mesmo sua nave possuindo barra de energia, perder seus ajudantes ou acabar morrendo é bem comum. E como o game só lhe apresenta uma vida, a frustração pode ser alta. Apesar disso tudo, o jogo conta com ótimos visuais e uma trilha sonora bem empolgante. Recomendo apenas para os fãs do gênero, já que, no geral, ele é bem simples.



8 - Saint Dragon
Lançamento: 1990
Por: Aicom

Nesse shmup controlamos um dragão, num jogo bastante similar ao Dragon Breed da Irem, mas sem o personagem montado no bicho. Aqui é tudo na raça mesmo, com seu dragão atirando pela boca nos inimigos que vem surgindo. Além disso, se tocar no cenário (teto e solo), sua vida será tomada. É um jogo difícil, mas bem bacana e conta com uma ótima trilha sonora também (lugar comum nesse tipo de jogo do PC-Engine).



O visual do jogo é bem dark, com elementos gráficos que simulam animais mecânicos o tempo todo (inclusive seu dragão, que mais parece um robô). Os power-ups vem em itens presos no cenário, onde é preciso atirar para conseguir ver seu conteúdo, e vão desde mais velocidade para o dragão até itens que aumentam seu poder de tiro. Como vidas são escassas e o jogo é relativamente cadenciado, dá pra jogar numa boa, mesmo que você seja um zero à esquerda em shmups como este que vos escreve.



7 - Gokuraku! Chuuka Taisen
Lançamento: 1992
Por: Taito

Chuuka Taisen provavelmente é mais conhecido aqui no Brasil com o nome de Cloud Master, já que sua versão para o Master System fez um relativo sucesso por aqui. O game é um shmup simples e diferente dos outros, já que controlamos um garotinho sobre uma nuvem atirando em seres bizarros e lendários, geralmente baseados na mitologia japonesa.



Mesmo o jogo sendo relativamente conhecido por essas bandas com outro nome (e para outro sistema), a versão do PC-Engine é bastante agradável. Tanto o visual caprichado, como a dificuldade bem alta e as músicas, fazem deste um belo port para o console da NEC. Recomendo bastante, mesmo que já conheça as outras versões.



6 - Sinistron
Lançamento: 1990
Por: IGS

Sinistron é um jogo muito bacana de naves, dessa vez funcionando na horizontal. Aqui controlamos uma nave com uma peculiaridade: podemos abrir seu "bico" e expandir seu poder de fogo, bem como fazer também o contrário para concentrá-lo num só alvo! Só essa particularidade afeta todo o gameplay do jogo, fazendo dele algo único na vasta biblioteca de shmups do PC-Engine.



Com se não bastasse, a trilha sonora é ótima também. O visual chega perto do que encontramos na série R-Type, inclusive na velocidade da nave, mais lenta, cadenciada. É um ótimo jogo pros amantes do gênero e até pra quem não aprecia muito jogos de navinha.



5 - Makai Prince Dorabocchan
Lançamento: 1990
Por: Naxat

Eis um jogo de plataforma bastante simpático para o PC-Engine. Apesar de também ser conhecido como Kid Dracula, Makai Prince não tem absolutamente nada a ver com sua versão para NES: aqui seu personagem lembra mais algum mágico comum do que o Drácula em si. Armado com uma espécie de magia, ao derrotar seus inimigos surgem desde tomates (que por algum motivo são os colecionáveis do jogo) e também alguns power-ups que permitem desde tiros mais poderosos até um segundo pulo no ar.



O visual, como era de se esperar, é bastante infantil e simples. Apesar disso, a jogabilidade dele é fácil de ser aprendida e dominada, bastando apenas ter cuidado quando se está sem power-up algum, já que a arma do personagem tem um alcance bem curto. Fora isso, é aquele tipo de jogo pra uma tarde, pra ser jogado e terminado no mesmo dia.



4 - Fushigi No Yume No Alice
Lançamento: 1990
Por: Face

Esse jogo trata-se de uma versão do filme Alice no País das Maravilhas e, numa primeira avaliação, bem como o teor do filme, é voltado para crianças. Mas, ao experimentar o jogo em si, nota-se que, apesar do visual, de fácil e infantil o jogo não tem nada! Na verdade, é um jogo de plataforma bem cruel até mesmo para os adultos, pois seus controles não respondem tão bem assim, tornando obrigatório acostumar-se aos pulos e ataques da Alice o tempo todo pra poder conseguir avançar.



Tirando esse percalço, o jogo tem um design de fases interessante. O visual é agradável e as músicas ao menos não atrapalham. Recomendo se você procura um jogo de plataforma para o PC-Engine que não seja tão fácil como Makai Prince, por exemplo.



3 - Coryoon - Child of Dragon
Lançamento: 1991
Por: Naxat

Mais um shmup, mas dessa vez com um visual bastante infantil que esconde um gameplay robusto por busca das pontuações mais altas! Em Coryoon, controlamos um pequeno filhote de dragão, pegando power-ups para melhorar suas baforadase, principalmente frutas! Aliás, coletar frutas pra aumentar seus pontos é mote principal aqui.



A despeito do visual de desenho animado, Coryoon, como eu já mencionei, esconde uma busca incessante por pontos. Cada inimigo derrotado deixa cair uma fruta, que vale uma boa quantia de pontos. Como são muitos inimigos na tela, o negócio complica se você quiser sair pegando frutas, pois é fácil encostar em algum projétil e perder uma vida. Em resumo, Coryoon é uma insanidade em busca de pontuação, mas uma insanidade bem organizada e prazerosa de se jogar!



2 - Cratermaze
Lançamento: 1989
Por: Hudson Soft

Eis um jogo daqueles pra jogar depois de um dia cansativo de trabalho. Cratermaze é uma mistura de coleta de itens + mecânica de Lode Runner. Você precisa coletar as diversas caixas em cada fase pra liberar uma chave e sair pela portinha. Para despistar os inimigos, cave buracos para que eles caiam e prossiga na sua caça. Sim, é uma mecânica simples, mas aliada à um visual agradável e ótimos controles, sempre dá certo.



Desnecessário dizer que a dificuldade só aumenta conforme formos avançando no jogo. As primeiras fases servem apenas como treino, já que, em outras mais avançadas, os inimigos ficam mais rápidos e inteligentes pra escapar das suas armadilhas. Não se esqueça de sempre pegar as iniciais NEC assim que pegar todas as caixas da fase: elas valem 20 mil pontos!



1 - Cybercore
Lançamento: 1990
Por: IGS

Com a temática emprestada de Insector X, em Cybercore controlamos uma mariposa que, ao pegar os famosos power-ups, vai se transformando e evoluindo, ganhando novos tiros mais fortes e ficando mais resistente. Sendo um shmup, espere por chuva de inimigos e de tiros, mas sem um segundo sequer de slowdown.



O visual de Cybercore é bastante chamativo, com muitos inimigos e cenários bem detalhados. Você pode tanto atirar normalmente quanto usar as bombas para pegar os inimigos no solo (ou na água em algumas fases). Recomendo bastante, pois apesar da dificuldade, ele não é tão punitivo assim.


PARTE 2 - PC-Engine CD (ou Turbografx CD)

Como falar de PC-Engine e não mencionar seu irmão mais novo, o PC-Engine CD, seria uma heresia sem tamanho, eis mais 20 títulos indispensáveis pra quem quer começar a conhecer a biblioteca do console. Lembrando sempre: não são os 15 jogos memoráveis, nem os mais importantes, mas uma lista de jogos que todos deveriam ao menos conhecer, padrão Shugames.

20 - Kaze Kiri - Ninja Action
Lançamento: 1994
Por: Naxat



Poderíamos classificar Kaze Kiri como um "beat'em up 2D com a temática ninja", pois é justamente isso que ele é. Confesso que, quando comecei a jogar, achei que fosse um jogo voltado tanto para o combate quanto para exploração, mas de exploração ele tem o mínimo. Os inimigos brotam tanto da direita quanto da esquerda e todos possuem uma barra de energia que deve ser esgotada antes de prosseguir. Apesar dos gráficos e movimentação bem feitos, o jogo pode se tornar tedioso pra quem não aprecia muito estilo.



19 - Final Zone II
Lançamento: 1990
Por: Renovation/Telenet



Final Zone II lembra muitos jogos como Ikari Warriors e Mercs, te colocando no meio do calor da batalha no comando de um soldado azul bem armado. Existe uma boa variedade de telas e inclusive de personagens/veículos, indo desde os soldados a pé mesmo até helicópteros sobre cidades, onde o jogo se torna um autêntico shmup. Vale mencionar ainda o belo visual e a trilha sonora empolgante do jogo.



18 - Beyond Shadowgate
Lançamento: 1993
Por: Icom



Em Beyond Shadowgate temos um point-&-click para o PC-Engine CD, talvez o único jogável desse estilo. Como não eram muito comuns na época (de cabeça me lembro apenas do Scooby Doo do Mega Drive), é sempre bom ter essa opção no console e Beyond Shadowgate não faz feio. Muito pelo contrário! Tanto as animações do personagem, como os cenários muito bem desenhados, puzzles aos montes e a trilha sonora dão o toque principal da aventura, que envolve um jovem príncipe tentando escapar do calabouço enquanto procura pistas do assassinato de seu pai, o rei. Para tal, conte com saltos, socos e uso de itens para solucionar os diversos quebra-cabeças das inúmeras telas do jogo.



17 - Hiho Densetsu - Chris no Boken
Lançamento: 1991
Por: Pack in Video



Também conhecido como Chris's Adventure, aqui controlamos uma heroína num jogo bem simpático de plataforma 2D. Mas, como quase tudo no PC-Engine (inclusive no CD), a dificuldade aqui é alta e a camada "infantil" por cima do jogo com esse visual só camufla o quão cruel ele pode ser com o jogador. Apesar disso, ele tem controles ótimos, uma trilha sonora excelente e bom visual, lembrando bastante o clássico da Capcom, Ghouls 'n Ghosts em alguns momentos. Uma das particularidades do jogo é que sua passagem da noite pro dia determina seu tempo pra terminar as fases: há um contador de dias no canto inferior direito mostrando o sol e lua passando e os dias diminuindo. Criativo, pra dizer o mínimo.



16 - Galaxy Deka Gaivan
Lançamento: 1993
Por: Intec



Galaxy Deka é mais um beat'em up em 2D, total sidescrolling, com um apelo mais infantil mas, ainda assim, um pouco mais variado e melhor que Kaze Kiri, por exemplo. O jogo, além de longo, traz transformações para o herói ou heroína, e também cenas animadas entre as fases. Como está tudo em japonês, fica complicado entender o enredo, mas o jogo é totalmente jogável mesmo assim. É um bom título, com um ótimo visual, efeitos sonoros bacanas de socos e gritos, além da trilha sonora cheia de guitarras. Pegue pra jogar com tempo, pois, como já dito, ele é meio longo.



15 - Gain Ground SX
Lançamento: 1992
Por: NEC Avenue/Sega



A versão portada para o PCE-CD saiu em 1992 e é ligeiramente diferente de todas as outras já lançadas (incluindo aquela do PS2 também). A versão para o console da NEC conta com um visual mais aproximado da tela, tanto dos personagens, mais detalhados pela aproximação, quanto do cenário em si, onde agora ocorrem os deslocamentos devido ao tamanho da tela. Diferente da versão mais famosa do Mega Drive, as fases não são dispostas inteiramente na mesma tela fixa, mas com scroll vertical em todas elas, como se estivessem em um zoom in. As músicas são mais elaboradas também, com instrumentos reais, devido à qualidade do CD, são todas orquestradas.

Notei também uma dificuldade maior, principalmente com relação à versão do Master System. Aqui os personagens para se recrutar estão em número bem menor. No mais, é um jogo bem interessante, uma versão que vale a pena principalmente pra quem gosta das versões do Mega, Arcade e do Master System, pois apresenta um jeito de jogar diferente.



14 - Psychic Storm
Lançamento: 1992
Por: Laser Soft/Telenet



Mais um shmup, mais uma jogo lendário no PCE-CD. Aqui temos um sólido jogo de naves, com ótimo visual e algumas particularidades interessantes. Antes de tudo, saiba que aqui a sua nave pode se transformar num inseto gigante e retalhar qualquer coisa pelo caminho, desde que tenha power-ups para tal. Como se isso não bastasse, junte então o visual espetacular que somente os sprites bem animados do PCE-CD podem gerar. Eis um jogo pra "navinheiro" nenhum botar defeito!



13 - Lords of Thunder
Lançamento: 1993
Por: Hudson Soft/RED



Com conversão para o Sega CD na época, Lords of Thunder (Winds of Thunder no Japão) é a sequência direta de Gate of Thunder, também para o mesmo sistema e presente nesta lista. Trata-se de um shmup com cavaleiros e monstros lendários, gráficos parrudos, uma jogabilidade viciante e uma trilha sonora heavy metal! Indispensável para os fãs do estilo!



12 - Crest Of Wolf
Lançamento: 1993
Por: Hudson Soft/Westone



Também conhecido como Riot Zone, Crest of Wolf é um razoável beat'em up para o PCE-CD, com sprites grandes e uma movimentação meio falha. Entrou pra lista por ser um dos raros jogos no estilo para o console, mas existem coisas melhores pra ele. O jogo em si imita bem o estilão "Final Fight" de ser, com gangues de rua implorando para serem espancadas. Vale uma jogada.



11 - Double Dragon 2 - The Revenge
Lançamento: 1993
Por: Naxat



O port de Double Dragon 2 para o PCE-CD divide opiniões. Enquanto alguns o consideram um bom port, outros acham que, além dele ser tecnicamente ruim, descaracterizaram muito o jogo original. Em se tratando de visual, realmente, não lembra em nada a versão de Arcade ou Mega Drive, as mais famosas do jogo. Mas isso eu não vejo como um contra. Agora, em termos técnicos, o jogo peca um pouco novamente na animação dos personagens: são poucos quadros, o que deixa aparentando que são bonecos duros lutando. Tirando isso, a parte sonora é ótima, tanto para músicas quanto para os efeitos sonoros. Se você gosta de uma pancadaria e admira a série da Technos, recomendo uma jogadinha.



10- Mystic Formula
Lançamento: 1993
Por: Micro Cabin



Pense num Arcus Odyssey (do Mega Drive/SNES) em um arcade e terão algo próximo do que é Mystic Formula. O jogo, além de envolvente, conta com cenas em anime e uma dificuldade acentuada que não vai te deixar ir tão longe sem treino. Apesar de tudo isso, o game é viciante e com certeza vai te prender por horas derrotando monstros em labirintos.



9 - Valis IV - The Phantasm Soldier
Lançamento: 1991
Por: Laser Soft/Telenet



Mais uma vez o mundo de Vecanti e o mundo real são ameaçados por mais um demônio! E novamente uma heroína surge para salvá-los. O jogo segue o padrão dos anteriores, obviamente, com tudo melhorado. Agora a heroína precisa, além de salvar o mundo, resgatar outras guerreiras dos outros jogos que foram raptadas. O game tem o estilão plataforma de sempre, com bons gráficos, controles firmes e uma boa trilha sonora. Vale muito a pena, mas não espere facilidade por aqui.



8 - Terra Forming
Lançamento: 1992
Por: Right Stuff



Conhecido também como Syd Mead's Terraforming, o jogo de nave da Right Stuff é um belo exemplo de lindos gráficos no PC-Engine CD. Syd Mead é o cara por trás de lendas do cinema como Blade Runner e Aliens, e parece não ter poupado na produção de Terraforming. Desde as primeiras etapas, nota-se um capricho enorme tanto nos elementos da tela quanto no cenário, com um efeito de parallax de fazer inveja. Como se não bastasse, a trilha sonora do jogo é espetacular também! Corra atrás se você aprecia um bom jogo de nave!



7 - Ginga Fukei Densetsu - Sapphire
Lançamento: 1995
Por: Hudson Soft



Sapphire é mais um excelente shmup para o PC-Engine CD, mas, diferente da maioria, ele mistura elementos poligonais na tela junto com sprites. Essa mistura deu um ótimo resultado ao jogo, trazendo alguma variedade de inimigos e chefes únicos aqui. Além da trilha sonora espetacular comum nesse tipo de jogo para o sistema, contamos também com chefes gigantescos e uma dificuldade razoável. É uma boa pedida, principalmente pra quem deseja algo mais variado mas ainda no estilo "navinha".



6 - Fausseté Amour
Lançamento: 1993
Por: Naxat



No meio de um mar de jogos de nave, um melhor que o outro, eis que surge Fausseté Amour, um game de plataforma estrelado por uma guerreira com espada.... Sim, pelo resumo, parece muito com Valis. De fato, o jogo em si é a essência de Valis, mas Fausseté tem suas particularidades. Primeiramente, ele é mais cadenciado (pra não dizer lento) que qualquer jogo da série Valis. Segundo, a arma da heroína Coruk (!?) é uma espada com corrente que pode ser inclusive girada no ar. E, terceiro, esse jogo tem fanservice aos montes. Coruk quando "morre", perde toda a armadura e aparece quase pelada enquanto some da tela. Além disso, várias cutscenes mostram mais de... perto a heroína, dando uma noção do quão sua armadura é enxuta...



5 - Ys IV - Dawn of Ys
Lançamento: 1993
Por: Hudson Soft/Falcom



Praticamente um retorno às origens, já que Y's III foge completamente do que foi Y's e Y's II, em Y's IV voltamos a controlar Adol em uma aventura por terras novas e antigas. Todo o esquema de jogabilidade, com o ataque tradicional da série retornou nesse jogo, que faz jus à tudo de bom que Y's representou no passado. Tanto visual quanto sonoramente, Y's IV é um banquete pros amantes do gênero. Muitas vozes dubladas e cenas de anime estão presentes durante toda a aventura de Adol. E, se a língua japonesa for um obstáculo pra você apreciar essa obra, saiba que o jogo já tem patch de tradução para o inglês! Inclusive das falas!



4 - Sylphia
Lançamento: 1993
Por: Tokin House



Apesar de muito mais frenético (e, por isso mesmo, muito mais difícil), Sylphia pode muito bem ser comparado à Phelios, do Mega Drive/Arcade ou até mesmo Legendary Wings, que recebeu um port para o NES. No game, controlamos uma fada com a velha missão de acabar com um monte de demônios que assola o seu mundo. Munida de vários poderes diferentes, o game é um shmup de muita qualidade e relativamente esquecido do PC-Engine CD.



3 - Rayxanber III
Lançamento: 1992
Por: Data West



Com uma das melhores trilhas sonoras de todos os tempos para um jogo de nave (sim, exatamente isso que você leu), Rayxanber III (existe uma segunda versão também para o PCE-CD) é mais um excelente jogo de naves, dessa vez horizontal para o PCE-CD. O game lembra muito jogos consagrados como Gradius pelo estilo gráfico adotado. Apesar da dificuldade acentuada, não é um jogo tão punitivo quanto os demais shmups para o PC-Engine CD! Jogue tranquilamente enquanto seus ouvidos são agraciados com a trilha sonora do jogo!



2 - Kaizou Chojin Shubibinman 3 - Ikai no Princess
Lançamento: 1992
Por: NCS/Masaya



Já falei sobre um dos jogos paralelos à essa série aqui no blog, com a versão Zero do Super Famicom, distribuída unicamente pelo serviço online do sistema na época. A série Kaizou Chojin Shubibinman nasceu no PC-Engine, e foi nele também a derradeira versão final, em CD, com áudio de extrema qualidade e visual impecáveis. Como jogo, ele funciona como um simples jogo de plataforma, onde controlamos um guerreiro (ou guerreira) armado com uma espada e com a missão de destruir tudo e todos. Como tudo está em japonês, fico devendo as nuances da história, mas prepare-se para um jogo recheado de cenas em anime.



1 - Akumajou Dracula X - Chi no Rondo
Lançamento: 1993
Por: Konami



Esse é um jogo até bem conhecido atualmente, mas que se eu não colocasse ele nessa lista, seria massacrado por muitos! Então, falar do "Dracula X do PC-Engine" é chover no molhado: é uma das versões mais bem acabadas e bem feitas de toda a série Castlevania! Desde uma abertura (e encerramento) em anime, ótimos visuais e uma trilha sonora caprichadíssima, no jogo ainda temos uma missão nada fácil, vários caminhos alternativos, que levam à áreas novas com chefes novos e até mesmo missões novas! Se você, por algum motivo, ainda não jogou esse capítulo da série, eu recomendo fortemente! Caso já conheça, vá rejogar agora!

14 comentários:

  1. Parabéns mano, ficou maravilhosa a lista, certamente vou procurar vários jogos da lista para jogar, alguns já conhecia. Um abração, é nos sempre.

    ResponderExcluir
  2. A Shugames botando banca no retorno do blog! Parabéns pela listagem de um sistema que rende muito pano pra manga. Tem jogos muito interessantes que valeriam reviews mais aprofundados. Poucos exploram plataformas como essa!

    ResponderExcluir
  3. Bela lista Cosmão! Tenho conhecido muitos bons jogos do PC-Engine e PC-Engine CD e me surpreendo com a qualidade e diversão proporcionados.

    Eu fiquei particularmente espantado e encontrar versões de Ninja Gaiden e Cloud Master! Pretendo jogar em breve!

    ResponderExcluir
  4. Obrigado pessoal! Deu trabalho pra fazer, mas gostei do resultado, serve como fonte de pesquisa assim como outras listas aqui postadas. O PC-Engine tem muito mais jogos do que esses, mas acho que consegui enxugar bem a lista sem dispor de nenhum jogo muito importante pra ele.

    ResponderExcluir
  5. Caramba, que seleção hein! Vários Shmups promissores aí que nunca vi, além de jogos que tem meu selo de aprovação como o fantástico Legend of Hero Tonma. Parabéns Cosmão!

    ResponderExcluir
  6. Excelente lista meu amigo Cosmão, o PC Engine é um console que merece bastante atenção do público retrogamer, uma pena ele ter sido um fiasco aqui no ocidente, mas acho que ele foi muito mal planejado para vir par cá, mas enfim, ele tem uma biblioteca até que rica de jogos bons e de jogos muito bizarros, é assim que separo a biblioteca do PC Engine. Acho que a biblioteca do PC Engine CD de jogos bons é essa mesmo e acrescentando só mais alguns.
    Valeu muito a espera pro PC Engine figurar aqui como uma lista.
    Excelente trabalho Cosmão, e muito obrigado por montar uam lista do PC Engine.

    ResponderExcluir
  7. Já sei onde é que vou consultar jogos de PC Engine quando resolver desbravar a plataforma, eu sou 100% noob nela! hehe
    Muito bom o post, Cosmão!
    E parabéns pelos 8 anos! \o/

    ResponderExcluir
  8. Só jogão bom temos ai hein gostei muito.

    ResponderExcluir
  9. Olá Cosmão, mais uma comemoração em grande estilo !!!! Parabéns pelos 8 anos do shugames e também pela excelente lista, que me fez lembrar bastante da minha infância... Sucesso para você e que venha a comemoração dos 9 anos com mais uma grande lista ...rsrs
    Abraços ....

    ResponderExcluir
  10. Cosmão, parabéns. Mais um Especial com "E" maiúsculo. Parabéns ao blog por mais um ano de vida! Que fôlego, amigão! Esse seu especial me fez viajar pelo PC-Engine.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  11. Parabéns Cosmão, deve ter mais de um ano que não passo aqui na Shugames. Da última vez, o blog tava repetitivo, sem criatividade e faltava até uma certa estrutura nas postagens; mas eis que me deparo aqui hoje e vejo que o Cosmão deu uma relevada incrível no Shugames.

    Eu sempre achei o Shugames o melhor blog brasileiro sobre games, lembro até de certa vez o Cosmão dizer que queria apagar tudo, mas felizmente isso não ocorreu, e espero que nunca ocorra.

    O SHUGAMES AINDA VIVE!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pela visita Guilherme.
      O blog ainda vive sim, aos trancos e barrancos, mas ainda no ar.
      Como eu disse, vou tocar o barco aqui quando tiver idéias interessantes, não adianta ficar entupindo o blog com idéias repetidas.

      Abraços!

      Excluir
  12. Uma pena que o Cosmão não lembrou do Shadow of the Beast do PC Engine hehehehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até lembrei dele, mas, como em toda lista, eu tive que "limar" algumas escolhas em prol de outras, ou então a lista teria o dobro de tamanho e eu ainda não teria conseguido terminá-la.

      Excluir