sexta-feira, 6 de abril de 2012

Brain Lord (SNES)



Muitas vezes eu fico sem idéias sobre o que postar no blog. Meus parceiros blogueiros com certeza concordam comigo, às vezes queremos postar algo e não surge nenhuma idéia bacana na cabeça, ou nenhum jogo vem à mente. Nessas horas eu normalmente evito abrir emuladores ou ligar consoles, simplesmente desisto da idéia e espero alguma coisa surgir na cabeça antes de me atrever a jogar. Só que, dessa vez foi diferente...


Há algum tempo eu li alguma coisa à respeito desse game do SNES, onde um cavaleiro tinha por missão seguir o rastro de seu pai, que partiu em viagem com a missão de caçar um lendário dragão. Pois bem, como "herança", o pai do herói do jogo pediu pra que seu filho (no caso, o jogador) seguisse seus passos caso este não retornasse. E assim acabou por acontecer, com o jovem crescendo e se tornando um cavaleiro com a missão de ir atrás de seu pai. Dragão? Até o momento morava apenas em lendas e nas histórias que o povo conta nas cidades...

a simpática cidadezinha de Arcs, ponto de partida do jogo

Brain Lord é um autêntico action-RPG, ou, RPG de ação, um jogo onde o personagem ataca, salta e resolve quebra cabeças em tempo real, sem batalhas por turnos ou coisa parecida. O jogo tem uma profundidade enorme, coisa que me surpreendeu muito. Quando comecei a jogar, não dava muita coisa pro game, história clichê do garoto buscar seu pai desaparecido, dragões e etc, mas dando uma chance acabei por descobrir um joguinho muito bem feito que pouca gente deve conhecer.

Em Brain Lord controlamos o herói aparentemente sem nome, cujo qual tem por objetivo seguir até a Light Tower em busca de pistas do desaparecimento de seu pai. Como rastro, apenas o objetivo de seu pai, que era destruir o lendário dragão para dar continuidade à herança genética da família, importantes caçadores de dragão de um passado remoto. Para tal, o herói conhece um punhado de amigos que vão ajudando como podem, pois também precisam sobreviver e, para isso, caçam e vendem artefatos que vão encontrando em aventuras.

encontrar baús e fuçar no mapa, coisas típicas de action-RPGs antigos...

Pra dizer a verdade, o jogo no começo parece mais uma quest do que a história principal, com um grupo de pessoas indo até a torre em busca do dragão, pois há um pedido por escamas de dragão fixado no pub, o qual premiará o primeiro que trouxer tal item ao ferreiro local. Não joguei à ponto de resolver toda a torre, mas acredito que o jogo vá muito além disso.

Brain Lord é um misto de Zelda com Terranigma, onde o personagem usa armamentos, salta e resolve uma penca de puzzles. Empurrar pedras, pisar em botões e saltar buracos estão entre as atividades corriqueiras do jogo, além de equipar espadas, arcos e usar algumas magias e invocações que ajudam um bocado nas dungeons. O sistema de equip é um pouco diferenciado dos jogos do estilo, sendo que quanto mais coisas o jogador carregar, mais lento ele fica, o que acaba prejudicando saltos e esquivas dos inimigos.

o bom de um personagem que salta é que podemos escalar algumas superfícies no mapa

Outro diferencial é que não há o famoso level up aqui: tudo que ganhamos derrotando inimigos é ouro. Portanto, nada de ficar grindando infinitamente pretendendo ser um Chuck Norris medieval, o máximo que você vai conseguir é ficar milionário...

a primeira dungeon do jogo

Os gráficos do jogo são bem simpáticos, mostrando o herói por uma vista de cima bastante agradável. Os efeitos são simples e lembram bastante outro clássico do SNES que já passou por aqui também, o Illusion of Gaia (que por sinal é feito pela Enix também). As habilidades do personagem principal geralmente envolvem um ataque carregado que dispara desde projéteis simples até rajadas devastadoras nos inimigos. Tais magias são encontradas em baús ou ganhadas de amigos durante a jornada. As invocações são de grande ajuda e permitem atravessar grandes distâncias sem perder muita energia no processo. As músicas são relativamente simples, o que poderia ter sido melhor trabalhado, mas é algo que não destoa completamente.


Em resumo, Brain Lord é surpreendente. Mesmo com um começo fraco e clichê, o jogo consegue cativar o jogador com seu jeitão meio simples e desajeitado, mas que esconde um profundo game lotado de puzzles bacanas e que, provavelmente, pouca gente conheça. É mais um game que descobri por acaso e que vale a pena ser jogado até o fim!

saltos e puzzles com pedras e botões... e olha que isso é apenas o começo do jogo...

Resumão: 
+ o visual, apesar de simples;
+ design das dungeons, com puzzles por todo canto;
- a música chega a dar sono;

Final Score: 7.0

30 comentários:

  1. Cara, como que eu não tenho esse na Pasta Perfeita?! Providenciando AGORA

    ResponderExcluir
  2. Pô Cosmão esse game me traz muita nostalgia....nostalgia da época que comecei a descobrir estes RPGs clássicos pelos primeiros emuladores do SNES!
    Brain Lord foi um dos primeiros RPGs que joguei e assim como outros que eu NUNCA...N-U-N-C-A acharia em locadoras para alugar aqui na época que tinha meu SNES e dependia delas pra isso!
    O game é muito bom, a jogabilidade, exploração...é um jogo excelente...a única coisa que nunca gostei foi do sprite desse personagem principal...sei lá ele me parece tão desengonçado XD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho que concordar: o personagem parece um gordo desengonçado auhauhauahau!

      Excluir
  3. Parece bem interessante vou dar uma olhada e se confirmar o que voce disse quem sabe ele nao entra na minha colecao here we go.

    ResponderExcluir
  4. Belo post Cosmão eu vi esse clássico esse ano numas das revista que um amigo me deu era uma a falécida EGW e resolvi ir atras dele pelo youtube e curti pra caramba vendo o video.Vou baixar ele um dia desses pra conhecer melhor o jogo .

    ResponderExcluir
  5. Se alguém aqui pretende encarar o jogo pra valer, recomendo algumas coisas:
    • paciência, acima de tudo! algumas dungeons dão um trabalho enorme e os mapas são gigantes e cheios de idas e vindas;
    • um caderno pra anotar algumas dicas que os NPCs dão às vezes;
    • tempo de sobra

    O game é ótimo realmente, estou no final da torre, jogando aos poucos todo dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. meeeuuu ta na torre ainda eu ja passei tou debaixo da terra ai tem outra torre meu dificial ainda que minha irma jogo e fez tudo a perder é que eu gravo ai no snes ai ela foi bem longe de la e salvou aiaiaiai!!

      Excluir
    2. Bom eu joguei no PS2 e salvava no memory card e consegui zerar perfeitamente ja to com saudades desse game

      Excluir
  6. Adoro esse jogo... só acho muito curto. Dá impressão que acaba meio do nada...

    ResponderExcluir
  7. Hum ai sim viu estou meio ocupado jogando alguns jogos mais jogarei ele concerteza .

    ResponderExcluir
  8. Eu via bastante imagens desse game em revistas gringas de games. Sempre tive vontade de ver, mas nunca fiz isso de fato.
    Mas eu adoro o Sétima Saga. Será que eu realmente vou gostar desse?
    Hey Cosmão! Não perca...: http://gazetadealgol.com.br/blog/?cat=41

    ResponderExcluir
  9. Descobri esse testando as infinitas roms de Snes, e que surpresa agradável. Joguei pouco mas foi o suficiente pra lembrar do nome em várias oportunidades. Esperando tempo e saco pra jogar, porque depois de zerar Landstalker tudo que você quer é uma pausa de action-rpg. Mas depois a gente volta.

    ResponderExcluir
  10. Grande jogo esse. Interessante descobrir mais fãs dele.
    Tem partes que achei ,muito criativas, como boa parte da Tower of Light. A Arena em Toronto me divertia bastante.
    Ninguém teve problema de passar do 3º andar do Castelo de Gelo? No SNES nunca consegui, só anos depois no emulador que passei, e com ajuda de faq ainda.

    ResponderExcluir
  11. ele tem nome sim esqueceu quando o jogo começa tem que escolher o nome Dããããã

    ResponderExcluir
  12. e 7,0 tinha que ganhar 1,0 só porque voce nao foi a outra torre que começa debaixo da terra voce nao consegue passar eu demorei tempo para passar 1 mes nao zerei mas é em legal eu conseguir vender a escama de dragao pro la eu nao sei quem mais conseguir vender e ganhei um dinheirinho aposto que voce nao vendeu ainde a escama!!??!!!?!

    ResponderExcluir
  13. Vc e um tolo em da essa nota esse jogo bota o terranigma no bolso so perde p zelda em materia rpg action, ele nao tem que matar o dragao ele tem que treinar sua anta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sugestão: compre um livro de gramática e aprenda a pontuar seu texto antes de expô-lo ao ridículo toda vez que comentar algo na internet.

      Ou então, crie um blog, coloque a fonte Comic Sans e saia destilando essa ignorância por lá.

      Excluir
    2. Bom parceiros apos ter zerado este game eu gostaria de conhecer outros bons de snes ficaria agradecido com sugestoes de novos games(novos velhos games kkkk)
      Obrigado!

      Excluir
  14. O melhor jogo de todos os tempos, acabei de zerar, infelizmente ao meu gosto nao deveria acabar nunca...ainda mais em portugues inesquecivel!!!

    ResponderExcluir
  15. Acabei de adquirir a fita original e espero que o game seja bom. =)

    ResponderExcluir
  16. Esse jogo é extraordinário! Fiquei anos (isso mesmo, anos) agarrado no castelo de gelo, sem saber o que fazer, pois na época jogava no super nintendo, não tinha internet para pesquisar, meu inglês não era bom e o jogo não explica muito bem o que fazer na parte em questão. Só consegui passar do lugar depois de anos que vendi o snes, comprei um play2 e um cd com mais de 2 mil jogos de snes, aí sim peguei o jogo e consegui finalizar.

    ResponderExcluir
  17. Uma joia rara, um incrível rpg perdido em meio a maravilha chamada snes...
    Eita que época boa dos rpgs...
    Saudades de ir na locadora alugar brain lord e secret of mana... 😢

    ResponderExcluir
  18. Acabei de finalizar este jogo! Muito bom :)

    ResponderExcluir