domingo, 24 de fevereiro de 2013

Monster Tale (NDS)



Faz um bom tempo, mas eis que o Shugames volta das cinzas! Após inúmeros contratempos, mudanças de casa, emprego e tantas outras peripécias de quem vos fala, o Shugames acabou ficando meio abandonado, mas pretendo mudar isso daqui por diante. Pra começar, uma análise que estréia um novo console por aqui, o Nintendo DS. Muitos foram os pedidos pra incluir novos consoles da lista (já grande) do blog, mas eu resistia por um único porém: não ter uma máquina razoável para emulá-los.

Agora que as coisas mudaram, resolvi investir um tempinho nos jogos mais esquecidos do pequeno portátil maroto da Nintendo e o resultado começa a ser mostrado à partir de hoje. Com vocês, a minha experiência com Monster Tale, um Action-Adventure nos melhores moldes dos antigos jogos da série Wonder Boy! Apreciem!


Monster Tale conta a história de Ellie que, à princípio, pensei se tratar de um menino, mas o jogo tratou de me informar que era uma moleca levada, tragada para o mundo dos  "monstros" por um acaso do destino (mentira, foi por vontade dos programadores :P) e que precisa arrumar um meio de voltar ao "mundo real" de alguma forma. Essa "forma" veio na ajuda de um simpático ser chamado Chomp, e é aí que todo o cerne do jogo, desde apresentação até mecânica de da jogabilidade e do enredo central vão girar em torno.


pedras quebráveis no meio do caminho e uma das telas onde se ganha o famoso wall jump

Ellie e Chomp são amigos inseparáveis desde o começo do jogo, quando ela o encontra ainda em um ovo. Por nãosaber seu destino, Ellie acaba bancando a mãezona e leva o ovo consigo. Em determinado momento, o tal ovo se quebra e dele sai uma criaturinha bizarra que prontamente recebe o sugestivo nome de Chomp, pois o danado se alimenta de TUDO que for deixado pelos inimigos abatidos.

A principal caraterística em termos de evolução vem desse último parágrafo: Chomp sobe de level conforme vai comendo e usando itens deixados pelos inimigos. A coisa funciona mais ou menos assim: enquanto Ellie se vira na tela de cima pra destruir inimigos, cada item coletado vai para a tela de baixo, onde Chomp fica a maior parte do tempo. Cada tipo de item gera alguma coisa diferente, itens de comida aumentam geralmente o HP do bicho, itens como a luva de box, deixam seu ATTACK mais elevado, o peso aumenta sua RESIST e por aí vai. Além disso tudo, Chomp ganha experiência à cada item ingerido, aumentando de level e ganhando novas formas, cada uma com status diferentes! É quase um tamagochi, misturado com plataforma e coberto por uma camada de RPG!


cenários variados (a represa) e diálogos durante o jogo

Para abater os inimigos, Ellie usa seus próprios golpes que vão sendo atualizados conforme seu avanço, além de uma poderosa rajada de raios (que parecem hadoukens), usados tanto para abater inimigos quanto em diversos puzzles de botões... Tocando no assunto puzzles, o jogo vem forrado deles, seja no simples aperto de botões, até conquistas de chaves e habilidades. Aí entra o que eu chamo de segunda vertente mais importante do game: a sua progressão.


Chomp se alimentando e a tela de skills equipáveis dele, 
que vão aumentando conforme seu avanço

Pra quem conhece a série Castlevania pós Symphony of the Night, vai se sentir encorajado a descobrir tudo de Monster Tale. Isso porque o jogo segue uma progressão parecida, com a conquista de habilidades como pulo duplo, ou a escorregada, escalar paredes, um ataque mais forte e tantos outros. Em contraparte, diferente de um Symphony of the Night, cada uma dessas habilidades gera uma sessão de indas e vindas no cenário que pode cansar os menos entusiasmados com esse sistema. Se Monster Tale tivesse uma maior variedade de inimigos ou até mesmo de golpes para Ellie, seria menos cansativo ficar caminhando pelos cenários.


mapinhas estilo metroid e um chefe curioso, onde é preciso estar de olho nas duas telas pra escapar

Sob o aspecto técnico, Monster Tale é um belo representante do estilo 2D clássico. As temáticas são variadas, indo desde belas pradarias e praias até fortalezas submersas e cavernas. Os inimigos e chefes são bem feitos também, com maior destaque para os chefes que, além de criativos em design, requerem alguma atenção para serem derrotados. Tanto Ellie quanto Chomp também são bastante carismáticos mesmo Chomp sendo mudo, afinal, você vai acompanhar o crescimento do bichinho pelo jogo todo (sim, ele muda sua aparência também).


Chomp também ajuda à abrir alguns caminhos acertando dispositivos inacessíveis à Ellie

No final das contas, Monster Tale oferece um bom desafio, dungeons longas e algumas caminhadas que podem cansar os jogadores mais novos. Pra quem é escolado, vale o esforço, pois o jogo é bastante compensativo. Conseguir todas as formas de Chomp no level máximo é um bom desafio, mas que vai pedir mais sua paciência do que neurônios. Pra quem já enjoou de dar chicotadas ou espadadas nos Castlevanias "metroidvanias", Monster Tale é uma excelente opção.

Resumão:
+ gráficos realmente bonitos;
+ estilo consagrado e bastante agradável;
+ personalização do seu pet, no caso Chomp, bem abrangente (muitas formas para destravar);
+ o som em geral é ótimo, com muitas vozes;
- a progressão lenta do jogo pode desagradar alguns;
- pouca variedade de ataques para a personagem principal, Ellie;

Final Score: 8.5

18 comentários:

  1. Opa, legal! Dicas de jogos para eu curtir no meu DS, great!

    Ótimos mesmo os gráficos... e o jogo parece ótimo, vou experimentar depois.

    Abração, meu velho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, valeu Gagá! Pois é, vou dar um foco geral nos jogos mais desconhecidos e bacanas de NDS, espero que goste!

      Abraços!

      Excluir
  2. Caramba esse jogo promete hein ser bem interesante pois curto esse lance de exploração e ficar evoluindo os personagens vou adicionar ele a minha lista de jogos pra jogar um dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um dos meus estilos preferidos também aki é rock!

      Excluir
  3. Caramba Cosmão. Terminei ele essa semana. E vale muito a pena mesmo. Estou suando para chegar nos 100% (e ainda me pergunto se irei).

    Um abraço e parabéns pela matéria

    ResponderExcluir
  4. É um bom game mesmo Cosmão eu tenho ele até hoje no meu DS aqui mas acabei não terminando...acho que se o game fosse japônes teria um pouco mais de apelo para mim, não gostei muito do design dos monstrinhos e tal pois é meio americanizado e lembra cartoon. Mas o sistema de cuidar do monstrinho na tela debaixo meio que como um tamagotchi é bem legal.
    Só que no momento outro game está ocupando meu tempo no DS...Last Window: Secret of Cap West...oooh jogo perfeito. Se ainda não tiver jogado recomendo!

    ResponderExcluir
  5. Eu gostaria de fazer uma parceria com você Cosmão.

    http://culturajovemdoplaneta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Legal o jogo, não conhecia. Só não jogo pq meu DS pifou. Vou acabar comprando um 3DS pra curtir os clássicos antigos ^^

    Muitas coisas de Monster Tale me lembraram outro jogo de plataforma bacana: Henry Hatsworth. Pena que no final as fases ficam tão longas que eu desanimei de zerar;

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faz sentido Heider. Eles são da mesma empresa. ;-)

      Excluir
    2. Apenas concluindo: Aparentemente Monster Tale é uma rendição da DreamRift já que Henry Hatsworth não vendeu muito bem. Eles aproveitaram parte da mecânica e bolaram um novo universo.

      Excluir
    3. Escorregada na gramática: REDENÇÃO.

      Excluir
  7. Nintendo DS é perfeito com jogos em 2D, para mim.
    Depois que joguei Sonic Rush 1&2, para DS, achei divertido mas, como todo gordo briga de barriga cheia, queria que troca-se aquele 3D por 2D.Achei interessante esse game, breve vou jogar.

    ResponderExcluir
  8. Muito boa essa dica! Finalizei esse jogo há algum tempo depois de ver sua sugestão, com 99%, e passei aqui só para corroborar que vale a pena. Não deu para passar dos 99% porque fiz tudo sem consultar nenhum guia antes, e só depois de um tempo "empacado" que acabei vendo em um que eu tinha errado na hora de dar uns itens para evoluir um dos monstros, daí já era — só jogando de novo desde o início, o qual prefiro fazer após um bom tempo para não saturar e deixar boas memórias.

    Detalhe que eu tenho um DS Lite, no qual já joguei bastante no passado, mas finalizei o Monster Tale no DeSmuME (com o filtro HQ2xS para melhorar a imagem, uma configuração de som ótima que não é a padrão, e um controle de PS3 que considero ter o direcional digital e botões mais gostosos de apertar). Fui experimentar emuladores de DS justamente por querer jogar este game após ver aqui, já que parei de usar o DS Lite pois ele me dá dores nas mãos depois de um tempo, além de a tela não ser muito boa. Foi uma grata surpresa ver a altíssima qualidade de emulação atual do sistema e, desde então, venho experimentando outros excelentes jogos para o console que eu tinha deixado passar, inclusive usando um tablet Wacom Bamboo Pen & Touch para jogos que dependem da touchscreen e tal. Uma coisa leva à outra — tudo iniciado com um empurrãozinho do Shugames.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu G.D, muito bom saber que o Shugames anda influenciando a jogatina dos leitores. Abraços!

      Excluir
  9. Olá Cosmão, ótimo review, estou jogando por sua indicação. Sabe como quebrar as pedras (na primeira foto)? Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então Luiz, como faz tempo que joguei, não sei precisar exatamente como, mas deve ser algum poder do monstrinho que destrói as pedras. Se não for isso, é alguma habilidade do personagem principal que você consegue avançando no jogo.

      Observe bem o mapa pra achar lugares novos escondidos. Abraços!

      Excluir