quarta-feira, 4 de julho de 2012

Gaia Crusaders (Arcades)

Quando planejei baixar tudo quanto é jogo para arcades, eu sabia que ia topar com muita coisa ruim, mas também com muitas relíquias e jóias que poucos puderam por as mãos ou sequer experimentar nas máquinas originais.

MAME nos traz há anos o que parecia impossível: o programinha resgata toda a glória dos arcades passados e nos faz pensar que antigamente sim, era muito mais divertido jogar com alguém.

A simples sentença de "jogar com alguém" nunca foi tão bem resumida quanto no gênero beat'n up. Sair descendo o cacete em marginais ou montros junto com um amigo foi e ainda é uma das maiores diversões que um console ou máquina de jogos pode proporcionar. Quando o jogo é bom então então, a diversão se torna suprema, o que é o caso do game de hoje.




Gaia Crusaders saiu pelas mãos da Noise Factory (1999), a mesma responsável pela saga dos samurais/ninjas em Sengoku, sucesso do NEO-GEO (que saiu também para SNES). Aliás, as semelhanças com Sengoku 3 são várias, desde personagens grandões na tela até mesmo o sistema de combos e golpes. Apesar de parecidos, tudo para por aí, pois Gaia Crusaders segue um esquema um tanto diferente do seu quase-irmão de consoles.


Jimi espancando lagartos humanos e soltando a magia Wind

A primeira coisa que eu diria é que Gaia Crusaders é bem diferente de todo tipo de beat'n up que eu já tive o prazer de jogar. Ele mistura vários personagens, magias por todo canto, combos insanos e muitos, muitos inimigos na tela por vez. Alguns podem se lembrar de Guardian Heroes, por exemplo, dadas as devidas proporções é claro. Mas Guardian Heroes é muito mais puxado pra um RPG de pancadaria do que um jogo de pancadaria com toques de RPG, justamente o contrário de Gaia Crusaders. Aliás, a única coisa relativa a RPGs que aparece aqui são os atributos de cada personagem e as magias baseadas em elementais.


Kohen é especialista em atear fogo nos inimigos

A história é simples: os 4 heróis são incumbidos de resgatar os pedaços de Gaia, uma espécie de cristal que se fragmentou e acabou por criar seres maléficos que espalharam o terror pelo planeta. A cada cristal resgatado, uma cutscene mostra a evolução do enredo do jogo.



Um dos fatores que são relativos à bons jogos de pancadaria é a quantidade de personagens selecionáveis. Em Gaia Crusaders começamos com um time de 4 guerreiros, todos bem diferentes entre si e que, além disso, possuem elementais como atributos:

Jimi Isaak
Atributo: Wind
Jimi segue o estilão Cody de ser, um personagem mais comum no estilo, com mais punhos do que chutes, além de ser o mais bem balanceado do jogo;


Fred Sathal 
Atributos: Wind e Fire
O capoeirista do time humilha nos combos, é rápido o bastante pra escapar de enrascadas e é uma ótima pedida. Foi o personagem com quem eu mais consegui combear no jogo;

Kohen 
Atributo: Fire 
A moça do jogo, uma japonesa que usa um pedaço de papel com uma runa mágica estampada, o que lhe dá a habilidade de torrar os inimigos durante seus combos;

Koufu 
Atributo: Wind
O mago da equipe, se vira muito bem com raios, magias, escudos e outras coisas típicas dos homens que usam magias. Isso não quer dizer que Koufu não sabe lutar com as mãos, o cara briga bem;


M-985 
Atributos: Wind e Fire
Robozão que aparenta ser um inútil, mas que pelo menos tem a melhor defesa do time. M-985 é bastante lento, mas seus dois atributos podem ajudar bastante;


Além do quarteto inicial, mais dois personagens se unem a eles durante o jogo, curiosamente os únicos que tem o elemento água como atributo:

Rob 
Atributo: Water
Aparece como chefe em um dos estágios, mas depois se une ao time. O demônio azul aquático é lento ao extremo, mas possui golpes fortíssimos pra compensar além da magia Water;

Seiyen 
Atributo: Water 
Outro que é um sub-chefe que se junta com a galera. Seiyen é ótimo com combos, ficando pau a pau com Fred no quesito velocidade. Outro ótimo personagem com qual me dei bem no jogo

Seis personagens, três elementais e muita porrada. Os golpes são, em sua maioria, simples de executar, mas dominá-los requer alguma prática. Isso porque cada golpe pode ser linkado com outro, resultando em combos grandes de até mais de 10 hits! Golpes com corrida geralmente são bons pra começar combos, que podem fazer o jogador atravessar a tela espancando algum monstro. Fazer isso, em chefes, é uma mão na roda, mas serve muito bem contra inimigos comuns também.


Koufu descendo a ventarola nos inimigos e M-985 chutando a cara de uma vadia

Outro fator bacana são as magias. Conforme o jogador derruba inimigos, algumas esferas com os elementais podem ser dropadas. Dependendo do personagem e dos seus atributos elementais, cada uma delas faz um efeito diferente: ou executa a magia na tela, que pega todos os inimigos, ou então o personagem faz algum movimento ou lança algum projétil. Assim sendo, Koufu, por exemplo, ao pegar uma esfera de vento, soltará sua magia mais forte. Já com outras, ele executa algum golpe mais simples, mas que tira muita energia dos inimigos. As esferas aparecem em uma quantidade considerável e podem ser estocadas até no máximo seis delas, o que deixa o jogo sempre muito agitado e divertido.


Koufu e Fred, na minha opinião, os melhores do jogo

Além das esferas elementais, uma esfera de energia e outros dois tipos de ataques que derrubam os inimigos também aparecem, como as esferas que causam terremotos ou que soltam gêisers do solo. Mais uma coisa, cada personagem também possui um comando de defesa (chute e soco juntos) e de ataque que gasta energia (soco+chute+pulo). Tais comandos são simples de executar e podem salvar sua pele em determinadas vezes.


a cena onde Rob e Seiyen entram pro time
ao lado, a vasta seleção completa de personagens do jogo

Com uma gama tão grande de personagens, golpes e magias, nada mais justo que o jogo ter cenários bacanas, e Gaia Crusaders tem alguns dos cenários mais bacanas dos beat'n ups. Aproveitando-se do fato do jogo acontecer em algum período pós-apocalíptico, as diversas paisagens vão desde cidades completamente destruídas, cemitérios abandonados, lugares em outras dimensões passando até por um passeio no Egito Antigo. Os inimigos também são bem variados e até certo ponto difíceis de abater, mesmo o jogador tendo aprendido a combear e usar corretamente as magias.


e aqui a dupla atacando

O visual do jogo em geral é ótimo. A movimentação tanto de inimigos como dos personagens é ótima, com sprites gigantes na tela, chefes enormes e alguns efeitos muito bacanas pras magias. No geral, Gaia Crusaders não deixa a peteca cair tanto visualmente quanto sonoramente falando. As músicas são até meio simplórias (incrível é o fato de ser o mesmo compositor de Metal Slug), mas os efeitos sonoros da pancadaria compensam tudo. Isso sem dizer nos urros de monstros e chefes por todo o jogo.


aparentemente, Seiyen pode usar tanto o gelo como a água (que vemos com Rob na outra tela) 
quando gasta sua Water Sphere. Acredito ser algo randômico do jogo

Finalizando, se você gosta de uma boa pancadaria eletrônica e aprecia um bom esquema de combos com uma dificuldade acentuada, recomendo experimentar Gaia Crusaders. Ele não reinventa a roda, mas dá uma satisfação enorme ao ser jogado tanto sozinho como com algum amigo. É um belo representante do beat'n up de verdade, mesmo que com um toque de fantasia.


Rob em uma fase no Egito e Jimi usando seu ataque especial

Resumão:
+ gráficos lindos;
+ personagens e inimigos enormes;
+ sistema de combos muito bacana;
+ magias por todo canto;
+ número de personagens alto, algo até certo ponto raro no estilo;
- as músicas poderiam ser melhores;
~ notei que o jogo fica um pouco lento no emulador ainda, mas nada que vá atrapalhar a jogatina, muito pelo contrário;
~ saiu uma versão ripada de Gaia Crusaders na época, chamado de Thunder Heroes, com todos os personagens modificados e a inclusão de um novo, chamado Getuki. 



~ o game é bem mais singelo, curto e mais fácil também, mas não deixa de ser uma boa alternativa caso enjoe do original;

Final Score: 9.5

8 comentários:

  1. Nossa, eu estou jogando esse jogo no momento pelo Mame, ele é um dos beat em up clássicos que ninguém jogou.

    ResponderExcluir
  2. Caramba que jogão meu esse ai eu nunca ouvi e nem vi em revistas de games curti pra caramba vou adicionar na minha lista.

    ResponderExcluir
  3. Jogão heim Cosmão, nunca ouvi falar!!

    ResponderExcluir
  4. valeu poer falar sobre esse game Cosmão, vou conferir ele agora mesmo. gostei do Rob, vou ver se zero com ele

    ResponderExcluir
  5. Acabei de passar da primeira fase aqui no MAME após ver o post, bacana mesmo o jogo!!
    Depois tentarei chegar até o fim.
    =]

    ResponderExcluir
  6. Nunca tinha visto esse game... valeu por apresentar! As imagens são lindas! Já quero já. Arrasô!

    ResponderExcluir
  7. Vendo esse post lembrei de um jogão desconhecido que até a SNK comprou os direitos para criar alguns personagens para o KOF, só que é de luta é DARAKU TENSHI the fallen angels, tem uma mecanica meio parecida com ART OF FIGHTING.

    ResponderExcluir
  8. Cosmão!!! Que jogaço!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!1

    Dica para você também: armored warriors!!!!

    Jogaço também!!!

    Vou desistir de secret of mana 3, já me deu dor de cabeça demais.

    ResponderExcluir