sexta-feira, 1 de abril de 2011

Asterix (Master System)


Asterix figurou, por um bom tempo da minha infância, como um dos jogos mais desejados na época. Tudo porque, no manual do Master System (aquele que parecia um livrinho), havia imagens dele, o que deixava qualquer um babando. Afinal, o estilo plataforma era a moda na época, diferente de hoje, onde o gênero é escasso em um mar de tiroteio e RPGs genéricos...


Mas, enfim, um belo dia, aluguei o danado, e pude compreender que o jogo era realmente tudo que imaginávamos só de ver aquela telinha da primeira fase. Asterix é um belo jogo, um senhor jogo de plataforma, com muita variedade, fases bem feitas, em uma quantidade excelente, proporcionando muito desafio sem frustrar ninguém, o maior empecilho daquela época.

Controlamos Asterix e Obelix por terras da Europa, procurando poções e itens, vencendo romanos e seguindo pelo mapa. A missão é salvar Getafix, o mago criador da poção da invencibilidade, item básico do enredo dos quadrinhos. As fases se passam pela Europa, e em um mapa podemos seguir os dois aventureiros por diversos tipos de lugares, desde montanhas até lagos, castelos e masmorras.

Sendo dois personagens, é possível escolher um dos dois antes de cada fase. As fases variam de acordo com eles, sendo que com Obelix às vezes fica mais fácil, pois ele pode estourar blocos apenas com suas mãos e com sua... bunda enorme. Já Asterix depende das poções de explosão para abrir caminho entre as fases. Além dessa poção, ambos fazem uso de diversas outras, como a poção que cria plataformas na lama, outra que derrete o gelo e as chaves, indispensáveis em toda fase.

Asterix depende das poções para avançar no jogo
Obelix, usa a força bruta para por paredes no chão

Alguns chefes estão presentes. Ao vencê-los, geralmente se ganha um coração, que dá mais um ponto de vida ao jogador. São chefes simples, na maioria das vezes é um carinha gordinho que ataca de diversas formas diferentes. E não, não é um sósia do Robotnik, mesmo que pareça às vezes.

as poções também servem para formar plataformas na água
à direita, uma das fases difíceis do jogo, onde a tela anda sozinha

Além das fases normais, passamos também por bônus stages, onde controlamos Ideiafix, o cãozinho dos dois. O bônus é simples, basta pisar nos balões coloridos até estourá-los, quanto mais estourar, mais pontos no final. Apesar da simplicidade, é uma boa forma de variar o jogo.

Os gráficos do jogo são ótimos, realmente o maior chamariz numa primeira olhada. São tão bonitos que ousaria dizer que disputam de frente com Phantasy Star e Sonic, dois jogos com gráficos exuberantes no console. A movimentação dos personagens na tela é bastante convincente, sem perdas de quadros ou movimentos duros, como na maioria dos jogos da época.


A música também é outro diferencial em Asterix. Com um ótimo bom gosto, todas elas são excelentes, grudentas e épicas. Se repetem, é claro, talvez devido ao número alto de estágios, mas mesmo assim, todas são muito bem compostas e cativantes. Os efeitos sonoros seguem o padrão, não sendo tão vastos, mas mantendo a qualidade no jogo.

no bônus, controlamos Ideiafix onde é preciso saltar nos balões até estourá-los

Os controles são os mais simples possíveis. Dá pra saltar, socar, saltar com soco (ou bundada, no caso de Obelix) e usar as poções com o direcional pra baixo mais o botão de ataque. Existem alguns macetes, como passar por debaixo de blocos (a lá Alex Kidd) entre outras coisas, mas, no geral, os controles do jogo são ótimos.


Asterix do Master System, até hoje, é cultuado como o melhor game do gaulês já feito pra um videogame. E não é pra menos. Aqui encontramos um pouco de tudo: fases criativas, variedade em dois personagens jogáveis, gráficos bonitos, músicas bacanas e controles firmes. Pra quem gosta do gênero, é uma obrigação jogá-lo até o final!

Resumão:
+ gráficos bonitos;
+ músicas bem feitas;
+ variedade de fases;
+ controles firmes;
- a dificuldade em algumas fases;

Final Score: 9.0

16 comentários:

  1. Adoro esse game, o de arcade (que é beat'em-up), a continuação (que virou TV ColOsso aqui, ainda que a TecToy tenha lançado a versão original aqui tb)

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto de 3 jogos do Asterix: esse primeiro, o segundo pro Master e uma versão pro SNES, postada aqui: http://shugames.blogspot.com/2010/01/asterix-snes.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho a impressão pela qualidade do jogo , tanto no conteúdo quanto graficamente, que o grupo de artistas, programadores e desenvolvedores deve ser o mesmo do Castle of Illusion (do mesmo Master System) se você parar pra notar alguns detalhes, como a bundada do Obelix (bundada do Mickey no C.O.I) a forma como estão dispostos na tela o número de vida, o contador de tempo (itens presentes em ambos os games) , vai notar algumas semelhanças, mesmo eles sendo jogos completamente diferentes. Algumas ideias se repetem nos dois jogos, como naquela fase do castelo desse Asterix, onde um pêndulo bate no chão. A mesma ideia foi usada no castelo do Castle of Illusion e a jogabilidade de ambos é excelente, e muito parecida, desconfio que a equipe da produção foi quase a mesma para ambos os jogos. Não sei se já tinhas notado isso. Abraços e sucesso.

      Excluir
  3. eu idolatro esse jogo, um dos maiores classicos do master. ele é tão bem feito, que se vc reparar, Asterix possui "2 lados" a espada está de um lado da cintura e se vc se virar, ele fica no outro lado, diferente dos outros jogos em que o personagem apenas inverte o sprite quando se vira

    ResponderExcluir
  4. É a melhor versão do Asterix para os consoles!

    ResponderExcluir
  5. Muito bom esse jogo viu cheguei muito longe na época que tinha meu Master System não chequei a zerar ele.Mas é um jogão de primeira linha viu e suas músicas são muito marcante ao ler este post fiquei lembrando de umas das musicas hehehehe.
    So´pra você ter uma noção de quanto esse jogo me marcou lendo agora vou ter que zerar ele nas minhas férias .

    ResponderExcluir
  6. Eu não dava a mínima para o jogo do Asterix quando tinha um Master System. Sei lá, achava que deveria ser meio genérico, mais um joguinho fuleiro com personagem famoso para ganhar uns trocados.

    Só anos depois, quando fiz a Cruzada Master System lá no Gagá Games, fui conhecer o jogo e adorei! É ótimo mesmo, muito divertido e muito bom na parte técnica também.

    ResponderExcluir
  7. Ae cara.. eu estou querendo formar um grupo de blogs parceiros para podermos fazer algumas correntes e se ajudar.. que tal vc topa?? se ajudar é = fechar com donos dos blogs para fazer um podcast que poderá ser postado em todos os blogs deles.. quando tiver uma data especial tipo dia das crianças ou natal nós fazermos matérias especias essas coisas que podemos fazer apenas com um grupo de blog...

    ResponderExcluir
  8. se tiver interesse entra em contato por email
    leonardo_costa_1995@gmail.com

    ResponderExcluir
  9. Pow, adoro Asterix, principalmente as versões do Master!
    Se bem que as versões do Game Gear tbm não são ruins, mas o master me traz boas recordações.

    ResponderExcluir
  10. Ruim é o Asterix in Great Mission que saiu para o trio Mega/Master/GG.

    ResponderExcluir
  11. O jogo é bom, só me incomodou a dificuldade dele a partir da metade do jogo. Qualquer erro pode te levar à morte.

    Conheci através de um amigo que tem o cartucho, mas só depois de muitos anos fui pegar para zerar.

    ResponderExcluir
  12. "As Aventuras da TV Colosso" é um hack deste game estou certo?

    ResponderExcluir
  13. Não, Samuel. As Aventuras da TV Colosso é um hack do Asterix in Secret Mission, continuação deste.

    ResponderExcluir
  14. Esse jogo é muuuuuiiito bom. Joguei muito e realmente a foto dele que vinha nos encartes do Master eram as que chamavam mais a atenção

    ResponderExcluir
  15. Fui um feliz proprietário desse cartucho, e nossa como joguei esse jogo! Junto com Phantasy Star, Land of Ilusion e Sonic 2 deve ter sido um dos jogos que mais joguei no master system! E com certeza um dos melhores adventures de plataforma que já vi, mesmo sendo para o saudoso master!

    Realmente, hoje estamos órfãos de bons jogos desse gênero!

    ResponderExcluir