sábado, 29 de junho de 2013

Streets of Rage Remake (PC)



Muito se fala em "remakes" atualmente. Acredito que seja tanto pela saudade de velhos clássicos em uma nova roupagem, com gráficos ultra-realistas ou então pelo simples fato de poder jogar algo realmente de qualidade. Não que faltem jogos bons atualmente, mas aquele gostinho de antigamente é difícil de se perceber nos jogos atuais. No meu caso em particular, eu senti algo parecido há uns 2 anos atrás, quando jogava (e morria) incessantemente em Dark Souls, um RPG de ação da From Software que causa medo até no mais hardcore dos jogadores. Se sua dificuldade é seu maior atraente, o mesmo não se pode dizer da imensa maioria de jogos da atualidade, lotados de tutoriais que ensinam desde simples saltos até combos completos, tudo à um toque dos dedos.

Enfim, eu demorei pra falar sobre o jogo de hoje por um simples motivo: eu ainda não tinha conseguido liberar TUDO que os criadores enfiaram no game. Streets of Rage Remake, ao contrário de muitos remakes, segue por um caminho já conhecido, mas adiciona tantas novidades nesse mesmo caminho que fica difícil enjoar do game, mesmo após tantos anos do último lançamento da franquia. E todo esse tempo jogando o game (vez sim, vez não), me ajudou a formar uma opinião mais sólida, conhecer cada personagem, as rotas e todos os pormenores do game. Mas confesso que a falta de tempo também contribuiu para tanta demora pra postar um review desse que é considerado o melhor remake de um jogo de 16 bits feito por fãs até hoje.


A Bomber Games foi fundada em 2000 e é liderada pelo pseudônimo de Bomber Link. Claro, não existe nenhuma documentação oficial dos criadores do game, então o que se segue nos créditos é uma enorme lista de nicknames, tudo para preservá-los em caso de algum processo por conta da Sega, criadora original da trilogia. Enfim, foram 8 anos programando e criando o game, inúmeros testes até termos esta versão finalizada. Agora, vocês tem idéia do que são 8 anos trabalhando por conta, programando, caçando bugs e criando conteúdo para um jogo que você não vai receber um tostão? Isso se chama amor aos games, ou, no caso, à série Streets of Rage!


as imagens feitas para propaganda já indicavam que a coisa estava ficando animal

Aí eu pergunto: por quê a Sega simplesmente não o fez? Acredito que em muito menos tempo eles teriam feito o remake, com um visual completamente novo, mais combos, mais fases, mais personagens, mas, não, preferem ignorar a enorme massa de jogadores que pediam incessantemente para que Streets of Rage voltasse, de alguma forma, aos consoles atuais. Ao invés de apoiar e, quem sabe, contratar os caras da Bomber Games, a Sega fez o pior: emitiu a famosa cartinha de C&D (cease and desist, ou, no português claro: parem com tudo e deletem o jogo, pois vocês não tem direitos para tal!), o que não valeu praticamente de nada, pois o jogo já havia sido dissiminado na internet.

Bom, pulando pro jogo em si, vamos deixar de lado o que rolou nos bastidores e partir pra análise do jogo. Temos aqui uma bela mistura do que foram os três Streets of Rage iniciais, isso em termos de visual, personagens e estágios, tudo muito bem mesclado e adaptado. Somado à isso, a Bomber Games incluiu ainda mais personagens jogáveis (totalizando 19, contando com versões clássicas para alguns personagens e um punhado de porradeiros novos [já falo deles mais abaixo]). Mas, misturar os três games e incluir mais personagens jogáveis não foi o bastante: criaram então uma história, aliás, revisaram a história original, criando rotas e mais rotas, cutscenes novinhas, chefes novos e até mesmo fases completamente novas e diferentes. O que diriam de bater em ninjas numa floresta? Interessante, não acham? E se a luta continuasse na queda de uma enorme cachoeira? E a coisa não parou por aí...


apesar de bem difícil, a fase na floresta é opcional e pode deixar traumas...

Falando do aspecto sonoro, toda a trilha original foi remasterizada e remixada, portanto, fãs de Yuzo Koshiro se sentirão satisfeitos ao ouvir seus petardos em cada nova fase. Efeitos sonoros em geral foram transportados com maestria, juntando-se à outros originais do time da Bomber Games, onde o resultado não poderia ter sido melhor: se a trilha sonora original já era de boa à excelente, no remake as coisas extrapolaram o bom gosto.


Shiva esfaqueando e Adam bicudando inimigos

Em se tratando de gráficos, acredito que a escolha pela paleta do Streets of Rage 2 (isso é bastante evidente) foi a melhor. Não que Streets of Rage 3 seja feio, mas foi no 2 que a maioria dos jogadores aprendeu a amar a franquia. É no segundo game que moram os melhores personagens, o visual clássico que acabou por se tornar padrão da série. Streets of Rage 3 evoluiu, claro, mas o segundo game AINDA é insuperável, pelo menos até o lançamento desse remake. E não foi só nisso que os caras puseram as mãos: novos efeitos visuais em explosões e golpes foram implementados, dando uma cara completamente nova e atual ao clássico da Sega. Quando eu digo que esses caras mereciam um prêmio, estou falando sério...


as fases em veículos (lanchas ou motos) dão uma diversidade enorme ao jogo, mostrando que os criadores sabiam exatamente o que estavam fazendo
ao lado, o pobre Signal não tem a menor chance contra Elle e seu chicote implantado

Resumindo: gráficos excelentes, mais personagens, mais fases, efeitos sonoros na medida e músicas memoráveis, tudo que um remake precisa, certo? Sim, mas os produtores foram MAIS ALÉM AINDA! Criaram uma gama de jogos bônus, fases bônus e coisinhas para comprar que fazem qualquer jogador jogar e terminar diversas vezes até juntar grana o suficiente para comprar TUDO! A lojinha da Blaze é completa e é ali que se compram novos personagens, libera-se novas roupas, versões diferentes para Axel, Blaze, Skate e outros além de mais opções e até cheats!!! Como se tudo isso não bastasse, tiveram a proeza de incluir um editor pra você criar seu próprio Streets of Rage, um adicional muito bem vindo pra quem curte mexer nas cores, criar personagens e etc. UFA! Mas não pense que acabaram as novidades...


Zan mostrando seus dotes com um pedaço de cano e Max pilotando lanchas ao por do sol

Vamos falar agora do jogo em si, da pancadaria e das mecânicas de combate. Desde o primeiro game da série, o sistema de combos em Street of Rage vem sofrendo modificações e ampliando a gama de golpes que podemos usar nos meliantes das ruas. No primeiro game as coisas eram mais simples e, convenhamos, experimentais. Os personagens eram menores e o sistema de combos era simples ao extremo: bastava ficar apertando os botões pros personagens fazerem sua lista de golpes naturalmente. Isso foi ampliado no segundo game, onde cada personagem ganhou um golpe de corrida (com o botão de soco) além do golpe especial que consome uma pequena parte da energia e serve para se livrar de enrascadas. Já no Streets of Rage 3, além de algumas modificações nos golpes, ganhamos uma barra azul (chamada de barra OK) que se preenche automaticamente. Estando no máximo e executando um golpe especial, a energia não será drenada, o que pode salvar sua vida em alguns chefes. Adicionaram também estrelas que se acumulam abaixo do score, ganhas com a acumulação de pontos. Essas estrelas permitem alguns golpes especiais usando alguns comando que, na época, sem internet, eram difíceis de serem achados, à não ser através de alguma revista na época. Esses golpes, entretanto, podem ser acessador por um simples controle de 6 botões, sem a necessidade de ter as tais estrelas.


Mr. X na floresta prestes a devorar um abacaxi e Roo desferindo rabadas em frente da loja de arcades da Sega

Pois bem, em adição à este sistema já bem completo (para um beat'em up, diga-se de passagem), incluíram um sistema de level, onde, através da pontuação, ganhamos até 3 estrelas que ficam armazenadas ao lado da barra OK (semelhante ao SoR 3). Tais estrelas, diferenciando-se do terceiro jogo da série, promovem golpes devastadores ao usar o comando da corrida, isso sem gasto nenhum de energia. Claro, se perder uma vida, uma das estrelas também se vai, obrigando o jogador a ter estratégia durante as lutas pra não perder vidas de bobeira. Vale dizer que TODOS os personagens fazem uso do sistema de level, originando golpes incríveis e originais pra cada um deles. Os golpes com comandos diferentes ainda existem e podem ser vistos nos profiles de cada personagem (após comprar, claro). Além disso tudo, o famoso botão que chama ajuda da polícia ainda existe e o auxílio pode vir, inclusive, de helicóptero!


o laboratório é complicado e longo

Falando nos personagens, vamos descrever um pouco cada um deles agora.




Axel sempre foi o mocinho da história e está presente nos três games originais. Se no primeiro game ele era um personagem mediano, nos consequentes ele se tornou uma excelente escolha, visto que seus golpes ganharam, além da força, um alcance tremendo. Seu golpe com o botão especial (dragon wing) continua o mesmo, assim como seu golpe com direcional pra frente + botão especial (aquele combo insano, dragon smash). Seu terceiro golpe, o famoso "vatapá" ou dragon upper (dois pra frente + botão de soco), continua excelente, ainda mais agora com a adição do sistema de levels. Sua versão mais antiga, liberada nos extras, adiciona mais o fator nostalgia do que qualquer coisa.



A garota mais famosa dos jogos de pancadaria de rua dessa vez divide a cena com mais duas representantes do sexo feminino, mas não deixa a peteca cair. Blaze é uma personagem extremamente rápida e seu golpe pra frente + botão especial (kikousho) ainda é muito bom (aquela espécie de hadouken). Com três estrelas, Blaze executa seu embukyaku de forma a pegar quem estiver pela frente sem a mínima compaixão. Sem dúvida, é uma das melhores e mais rápidas personagens, mas você precisa ter uma certa malícia com os controles para jogar bem com ela. Nos cheats do game, há um que libera a versão sem censura de Blaze, onde ela mostra a calcinha durante as voadoras :D ! Além disso, dá pra destravar sua versão antiga nos extras do game.



O irmão mais velho de Skate (Eddie Hunter) retornou! E retornou em grande estilo! Sumido desde o primeiro game (ele é salvo no segundo jogo, mas não participa do terceiro por estar "cuidando" de assuntos internos na delegacia), o policial Adam Hunter volta com uma gama completamente nova de golpes. Ele é um personagem lento, mas seu Riot Stopper é excelente, especialmente com três estrelas. No geral, é um personagem balanceado, que requer uma jogatina mais cadenciada, emendando golpes aos poucos nos inimigos. Eu diria que Adam é o melhor lutador que faz uso das pernas durante os combates.



Irmão caçula de Adam, Skate apareceu no segundo game e não saiu mais. O pequeno garoto que não larga os patins por nada é bastante ágil, rápido, mas seus golpes são fracos. Talvez seu melhor golpe seja o Dynamite Headbutt com três estrelas, mas, mesmo assim, Skate é um personagem difícil de se jogar, à não ser que procure agilidade. Skate é outro personagem que possui uma versão antiga para desbloquear nos extras.



Max é um dos melhores amigos de Axel, além de um lutador de luta-livre fortíssimo. Ele apareceu primeiro no segundo jogo da série e está retornando só agora. Na minha opinião, é um dos melhores do jogo (se não o melhor), pois seus golpes com três estrelas tiram uma barbaridade de energia, tanto de chefes como de inimigos comuns. Os agarrões de Max são praticamente fatais à maioria dos inimigos. Seu maior problema é a lentidão, mas sabendo jogar, dá pra fechar o jogo sem usar continues com o grandalhão.



Zan apareceu no terceiro game e era meu personagem favorito naquele jogo. Envolvido completamente com o enredo do jogo (Zan era dono de uma fábrica de robôs - a Robocy - e fazia constantes investimentos em robótica à favor da humanidade, quando teve seu local de trabalho invadido pelos capangas de Mr. X), Zan é um personagem bem forte, com golpes que tiram muita energia. A maioria dos seus golpes envolve seus braços mecânicos e muita, muita eletricidade, o que garante uma boa porcentagem de dano nos inimigos. Zan teve algumas modificações bacanas em relação ao terceiro jogo: agora ele pode usar armas encontradas no jogo (e é mestre em todas elas), onde antigamente elas se transformavam em uma bola de energia que ele arremessava como uma bola de boliche nos inimigos. Aliás, esse ataque agora acabou sendo um especial (dois pra frente + botão especial).

Agora vamos aos secretos, comprados na lojinha da Blaze!



Preço: 75.000

Ele já apareceu como chefe em Streets of Rage 3 e era selecionado mediante um código secreto, mas aqui as coisas ficaram sérias. Shiva é, facilmente, um dos melhores do jogo, é o personagem mais rápido e com golpes devastadores. Tanto é verdade que o jogo fica uns 50% mais simples de ser zerado ao se comprar esse personagem. Talvez sua maior fraqueza seja justamente seu golpe com três estrelas: é difícil de acertá-lo por completo nos inimigos! Mesmo assim, é um personagem bastante recomendável pra quem quer terminar o game sem muita complicação!



Preço: 55.000

Sim, o chefe da sindicato que tomou conta da cidade é um personagem comprável na loja. Como mandante do crime, não é um personagem ruim, mas seus combos não são lá grande coisa. Ao contrário, seu especial com a metralhadora (Tommy Gun) é excelente e pega TODOS na tela.... Sim, TODOS! Até aqueles Jets chatos pra cacete que ficam voando pelo cenário.



Preço: 50.000

O simpático canguru brigão já era selecionável em Streets of Rage 3 cumprindo-se uma tarefa não tão simples: espancar apenas seu adestrador numa fase antes do parque. Digo não tão simples pelo fato de Roo sempre entrar na frente pra defender seu dono (mesmo levando chicotadas). Roo é rápido, tem bons golpes com a corrida e seus três golpes especiais tiram uma porrada de energia. Seu agarrão em que ele chuta a cara do inimigo é hilário, além de tirar uma boa quantia de energia também.



Preço: 60.000

Ash era um personagem exclusivo da versão japonesa de Streets of Rage 3 (Bare Knuckle 3) mas, pelo seu jeito excêntrico (mais parece um travesti), foi censurado na versão americana, colocando no lugar dele um inimigo diferente (acho que era um Jet). Ash, dessa vez selecionável mediante compra, é um personagem bem esquisito pra se jogar. Seus golpes tem um bom alcance, mas não tiram lá grandes coisas. Isso, aliás, não tem nenhuma validade quando se fala de seu golpe de corrida com três estrelas: esse passa por cima de tudo (ele praticamente voa com suas pernas numa voadora horizontal), tirando MUITA energia. Ele também aparece como sub-chefe na fase da danceteria e, ao ser derrotado, deixa cair seu pingente, que vale uma boa grana ao se terminar o game.



Preço: 90.000

O valor não é um erro não, Elle (ou Electra, pros íntimos), é uma das melhores personagens, rápida e com ótimos golpes. Electra é um inimigo comum do jogo, mas aqui foi transformada numa potente aliada contra as forças do sindicato de Mr. X. Seus golpes, sempre envolvendo seu chicote implantado (sim, ela não tem uma das mãos, perdida numa explosão - aliás, nenhuma delas em Streets of Rage 2 tem), tiram bastante energia, principalmente seus golpes envolvendo a corrida (tendo as 3 estrelas).



Preço: 99.999

A personagem mais cara é uma criação original da Bomber Games pro jogo. Rudra é uma ninja cheia de golpes diferentes, alguns bons, outros ótimos. Todos os golpes dela envolvem movimentos ninjas, como teleporte, multiplicação, estrelas ninjas, etc, mas seu melhor golpe continua sendo a corrida com as três estrelas, que praticamente atravessa tela socando inimigos, terminando com um gancho. Parecido com o golpe de Shiva, o único porém é conseguir acertá-lo em cheio, caso contrário, é certo que vai tirar MUITA energia de quem estiver pela frente.

Além de toda essa compra (que vai render muita jogatina pra juntar toda essa grana), temos as compras de cheats e outros pormenores na loja. Cheats como vidas infinitas, estrelas que não desaparecem e seletor de fases estão entre os itens mais bacanas, além de minigames como volleyball, bossrush, battle mode e survival.


o volleyball e o modo survival, grandes atrativos como bônus para comprar

Outros bônus incluem editor de músicas, de personagens (dá pra editar o visual, cores, nomes, etc) e o já mencionado Streets of Rage Maker, onde é possível criar seu próprio Streets of Rage dentro do jogo.


editor de cores e nomes de cada um dos personagens, inimigos ou não

Streets of Rage Maker

Eis um capítulo à parte no remake, preparado para fãs incondicionais da série. Para começar a editar o game, basta baixar o arquivo prototype no site do Streets of Rage Online (clique aqui), deszipá-lo na pasta mods/games. Baixe também o Utilities Pack na mesma página, pois isso é que vai permitir modificar tudo e sair editando.


a tela do Utilities Pack com o Streets of Rage Maker, entre outras opções para edição
ao lado, o editor de cutscenes do programa

O nível de edição desse maker é algo assombroso, pode-se inclusive fazer introduções, criar novas histórias, por e retirar objetos na tela, editar cena por cena, inimigos, itens, as músicas, praticamente tudo.


o editor em funcionamento e suas várias opções
dá pra fazer aquela gangue de gordos impossível de ser aniquilada :D

Expliquei isso porque em nenhum arquivo encontrei "como" começar o editor, visto que o arquivo prototype deveria ter sido incluso no pacote, facilitando nossa vida, mas, diante de tanta coisa boa do remake, quem sou eu pra cobrar alguma coisa...


aí já é apelação :D

Enfim, tudo que foi dito até agora não substitui o prazer de jogar essa obra que, acredito que por muitos anos, vai morar no computador de todos os fãs de Streets of Rage. Acredito que esse remake tem uma função maior ainda do que apenas nos divertir: serve para alertar as grandes empresas (sim, Sega) o quanto algumas franquias ainda ter força para reinar nos tempos atuais. Com os devidos ajustes, modificações aqui e ali mas mantendo a essência, os caras fizeram um trampo que a Sega nunca teve coragem de fazer: recriar o maior clássico das brigas de rua de uma época que não volta mais.


lindas cutscenes entre as fases e após os chefes

Streets of Rage Remake é um presente pros fãs. Na minha opinião, é o maior e mais completo game do estilo já feito. Existem clássicos como Caddillac and Dinosaurs, a série Dungeons & Dragons e até mesmo a trilogia Final Fight (que merecia um tratamento desse naipe, viu, senhora Capcom), mas o que os caras conseguiram nesses 8 anos de desenvolvimento foi superar tudo isso com uma maestria pouco vista. Prova de que a voz do povo, é a voz de Deus!


tela de final score pra gastar na lojinha da Blaze, após terminar o game
cada cheat ativado e continue gasto desconta-se 5 mil em dinheiro

Muito se fala em "remakes" atualmente. E muito ainda vai se falar sobre Streets of Rage Remake. À Bomber Games, toda minha reverência e agradecimento por, além de ter produzido um remake à altura da série, não da denegriu como a maioria das produtoras o fazem.



Curiosidades:
~ se você acessar a loja da Blaze entre 4 e 5 da manhã (horário real), poderá roubar um item. Se roubar 2, ela te seguirá no jogo e pegará toda a grana que estiver no caminho até você quitar sua dívida;
~ além de Cody de Final Fight, outro personagem inusitado dá as caras no jogo: Sonny, do clássico filme Grease: Embalos de Sábado à Noite, personagem do ator John Travolta;
~ em uma determinada fase, o jogador passa em frente à uma casa de arcades da Sega onde se pode ver claramente, em uma das máquinas: Great Axe Remake. Nada foi comentado sobre isso na época, nem pelos criadores, deixando a entender que talvez um dia possamos ver um remake dessa magnitude para a trilogia Golden Axe;

Resumão:
+ visual renovado, novos efeitos adicionados mas mantendo a essência da série;
+ músicas clássicas presentes, bem como remixes;
+ a volta de personagens lendários e criações únicas como bônus;
+ talvez seja o beat'em up mais profundo já feito no que diz respeito à jogabilidade;
+ level design adotado foi reaproveitado com maestria;
+ novas cutscenes, novas fases, tudo novo.... denovo;
+ possibilidade de modificar o jogo com a incrível ferramenta de edição inclusa;
- faltou um modo online, mas isso não tira nem 1% do brilho do jogo;

Final Score: 10

23 comentários:

  1. Nossa nunca vi uma análise dessa magnitude!!!
    Tanto o jogo como a sua análise estão de nota 10

    ResponderExcluir
  2. Cara,eu tinha ele instalado no PC,mas perdi porque tive que formatar,mas
    vou baixar de novo.

    Esse game é incrível,a galera que fez ele merece todo o reconhecimento,na verdade pra mim a Sega deveria contratar esses caras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho que a Bomber Games deveria trabalhar pra Sega fazendo remakes hehehe

      Excluir
  3. Esse game é um "tapa na cara" nas grandes softhouses. O membros da Bomber Games são exímios programadores e realmente amam games. Aplausos para esses caras. Mesmo após destravar tudo, continuo a jogar essa maravilha. Esse é o game para se gravar em CD, imprimir label e guardar em um capa plástica.

    ResponderExcluir
  4. Primeiramente, parabéns, muito bom seu blog, entro aqui diariamente. Quanto ao game, já joguei muito, tanto os de console, quanto esse remake, e posso falar: QUE BAITA JOGO, PQP!!
    Mas aproveitando o comentário, tenho uma coisa para perguntar: alguém tem o link do Hack Pokémon Stadium de SNES? procurei por toda a internet e nunca encontrei uma rom que funcionasse. Desde já, obrigado. E parabéns pelo trabalho!

    ResponderExcluir
  5. Bela matéria Cosmão eu zerei esse jogo uma vez e sofri pra caramba cara e vale muito a pena ser jogado varias vezes para comprar todos os personagens e secredos.Tem uma versão do Golden Axe que um grupo de fãs que fizerão está muito bem feito não sei se você chegou a ver ele se chama Golden Axe Myth é uma versão bem trabalhada.Eu tenho ele no meu notebook o pessoal que fez o jogo disponibilizou junto com o jogo a trilha sonora mas artbook dos personagens muito show de bola.E tem mas um outro grupo que também faz um open born bem interessantes o pessoal do Pierwolf se puder da uma conferida a respeito desse grupo cara.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu dei uma olhada nesse Golden Axe Myth, parece promissor, qualquer dia eu baixo ele pra testar.

      Excluir
  6. sem palavras esse jogo, um Remake excelente da Bomber Gamers. e a Sega censurando esse game maravilhoso.

    não era mais honroso e justo contrata-los, e fazer esse game ser pago por download, por um preço camarada? mas não. quer bancar a poderosa quando nem agora é sombra do que foi um dia

    se alguém fizer algo assim do Golden Axe, iria aos céus

    ResponderExcluir
  7. HOLY SHIT! Cosmão, que análise, nota 10 :D

    ResponderExcluir
  8. Grande análise!
    E a sega fazendo seguice. Jogo decente que é bom, nada

    ResponderExcluir
  9. Eu não tenho nem porque elogiar o Streets of Rage Remake, todos os elogios possíveis já foram feitos! Excelente, maravilhoso, bem feito... prova de que um bom game não precisa de investimentos de trocentos milhões, ser online ou mesmo em 3D, basta ser feito com COMPETÊNCIA e, claro, amor aos games(e isso tudo o pessoal da Bomber Games tem de sobra). Mesmo assim, uma pequena reclamação: uma das músicas ficou um pouco menos boa na versão final do que na versão lançada no Streets of Rage Remake versão v4.0.

    Agora, um detalhe importante, Cosmão: perto do lançamento do lançamento da versão final do Streets of Rage Remake (v5.0), a Sega chegou a se manifestar FAVORAVELMENTE quanto ao game. Entretanto, na semana do lançamento, correu o boato (falso) de que a Bomber Games estaria cobrando pelo game, e daí a Sega lançou a famosa carta de C&D. Após muita conversa e esclarecimentos com os donos da Bomber Games, a Sega cancelou o pedido de C&D. Por outro lado, não sei se foi revogada a ordem para a Bomber Games retirar o SORR de circulação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu cheguei a ler que a Sega tinha gostado do jogo, mas que depois, devido ao sucesso do mesmo (e da turma cansar de dizer que foi um tapa na cara dela), ela teria entrado com a famosa cartinha.

      Mas aí já era tarde demais, o jogo já tinha sido espalhado pela internet, pra nossa sorte hehehe

      Excluir
    2. Cosmão: "Eu cheguei a ler que a Sega tinha gostado do jogo, mas que depois, devido ao sucesso do mesmo (e da turma cansar de dizer que foi um tapa na cara dela), ela teria entrado com a famosa cartinha."

      Se isso for verídico (imagino que seja), prova a atual arrogância da SEGA que um dia eu idolatrei com meu "hotelzinho" Mega Drive-CD-32X, e um Wondermega trazido sob encomenda da terra do sol nascente.

      Aliás, ótimo texto seu meu caro Cosmão. Apaixonado, como todo bom gamer.

      Excluir
  10. Muito obrigado por essa análise. Esse game na época do Mega drive era uns dos meus preferidos e sentia muitas saudades dele. Fiquei embarbascado quando encontrei esse game feito por fãs da franquia onde conseguiram uma façanha criando um game de homenagem com tão extrema qualidade. Eu jogo ele quase sempre (minha irmãzinha de 11 anos, então é viciada até guardou dinheiro para comprar um controle novo para jogar comigo pelo fato do meu segundo ter quebrado rsrs). Esse remake é sempre será uma obra prima. A Bomber games tem meu eterno agradecimento.

    ResponderExcluir
  11. Simplesmente incrível este seu blog, parabéns !

    Nunca desanime!

    Faça nem que for uma matéria por mês, nós agradecemos!

    ResponderExcluir
  12. Só passando pra dizer que o site oficial do jogo agora é esse: http://sorr.forumotion.net/

    E pedir para o pessoal baixar as dezenas de MOD's criados pelos fãs, dar suas opiniões, etc... o replay do SoR Remake é infinito: já tem incentivo pra caramba para "limpar" a lojinha da Blaze, e quando você pensa que acabou, você tem essa dezena de MoDs para baixar (e alguns são extremamente fenomenais...!). E vou deixar também o link do meu próprio Mod: Way of The Warrior (um dos mais bem comentados no antigo site oficial, foi o que obteve mais visualizações e downloads, mais de 14.000): http://sorr.forumotion.net/t91-way-of-the-warrior-mod-by-the-nomad

    ResponderExcluir
  13. Jogaço!!! A Sega deveria criar vergonha na cara e contratar os caras da Bomber Games, assim disponibilizar o game para comprar na PSN e na XBOX Live.

    ResponderExcluir
  14. Excelente Remake, recomendo para todos os fãs da série e para os que gostam do estilo Beat in Up, já joguei outros mods como por exemplo A Syndicate Story, e recomendo para todos, e parabéns pelo seu blog, caso não conheçam existe a Chrono Crash, que se dedica e muito por Remake de jogos desse estilo.

    ResponderExcluir
  15. Excelente Remake, recomendo para todos os fãs da série e para os que gostam do estilo Beat in Up, já joguei outros mods como por exemplo A Syndicate Story, e recomendo para todos, e parabéns pelo seu blog, caso não conheçam existe a Chrono Crash, que se dedica e muito por Remake de jogos desse estilo.

    ResponderExcluir
  16. Nao devia nem ser remake e sim produzido pra ser uma continuação da série...esses caras sabem o que faz

    ResponderExcluir
  17. Quero parabenizar a vocês que fizeram uma excelente análise desse jogo maravilhoso.

    ResponderExcluir