quinta-feira, 18 de julho de 2013

Final Fantasy (NES)



Final Fantasy. Um saga que atravessa décadas, rompe gerações e permanece viva e forte na comunidade gamer. Ao se analisar pelo nome, é até irônico, já que o game foi concebido como a última chance dos produtores de vingarem no cenário gamer. E, pelo visto, ainda estão longe da fantasia final prometida...

Hoje faço uma análise do primeiro game da série Final Fantasy, lançado para Nintendinho no longínquo 1987, sendo portado para inúmeras plataformas nos anos seguintes. Sim, foi no NES que nasceu a grande saga que dura até hoje, assim como muitos outros jogos (Mario Bros, Castlevania entre tantos).

E, como um game inicial numa plataforma de 8 bits, o game se tornou bem precário pros dias de hoje, mas causou um alvoroço tão grande na época que realmente marcou muitos jogadores sortudos que o experimentaram.



É até engraçado ver que, um blog bastante dedicado à RPGs como o Shugames nunca tenha falado sobre nenhum Final Fantasy, nem retronados, especiais, NADA. Foi principalmente pensando nisso que resolvi começar a falar não só sobre ele, mas sobre grandes RPGs antigos, então, esperem ver muitas coisas do gênero por aqui. Mas, por hora, vamos embarcar na primeira história da fantasia final, que, pra alegria de muitos e tristeza de outros (mais pelos padrões atuais da Square), ainda não teve seu final escrito...

Hironobu Sakaguchi é o japonês talentoso e cérebro por trás não só deste, mas de vários jogos da série. Antes de sair da Square e criar sua própria softhouse (a Mistwalker), Sakaguchi foi o cabeça da série Final Fantasy por muitos anos, desde diretor de planejamento e desenvolvimento quando começou até mesmo como vice presidente executivo, tornando-se de fato presidente da Square em 1995. Mas nem só de glórias viveu o criador da série, pois antes de Final Fantasy ser criado, ele estava quase à beira da falência, o que deu origem ao nome do game, pois era sua última tacada antes da completa derrocada.

Pois bem, Final Fantasy, como RPG, é algo bem cru e limitado, como é de se esperar num primeiro projeto pro console da Nintendo. A história é simples: 4 guerreiros entitulados Light Warriors, portando um orb de luz cada um, são convocados para derrotar o mal que assombra o mundo e devolvê-lo a luz novamente. A mecânica é simples, o que nos leva à vilarejos, cidades, dungeons onde enfrentamos desde monstros simples até chefes. Tudo no game gira em torno do ganho de experiência e força para poder avançar, o que acabou se tornando regra na maioria dos jogos do estilo que ainda viriam.



Mas, diferenciando-se da maioria, Final Fantasy permitia escolher 4 guerreiros de classes distintas antes de começar o jogo, bem como nomeá-los à sua vontade. São 6 classes disponíveis:



Fighter:  guerreiro básico, pode equipar qualquer espada/machado/armadura e geralmente é posto na linha de frente de qualquer party;
Thief: especialista em roubar itens dos inimigos, com grande agilidade e velocidade;
Black Belt (ou Monk): que prefere lutar sem armas, mas que tem um alto poder de ataque;
Black Mage: magos negros que usam praticamente todas as magias de ataque;
White Mage: o contrário dos Black Mages, esses magos são especialistas em cura e defesa da party;
Red Mage: praticamente uma mistura entre Black e White Mages, possui um poder mágico menor, mas pode empunhar espadas;

Montar um time balanceado é o primeiro desafio de quem resolve encarar essa pedrada, pois são apenas 4 personagens a serem escolhidos. Geralmente, uma boa mistura de magos e guerreiros é a melhor escolha. Vale dizer que é possível mudar o líder do time à qualquer momento com o botão select.


tela de batalha e de compra de armamento

Como todo bom RPG, grindar em Final Fantasy é essencial. Lutas aleatórias surgem à todo momento enquanto caminhamos no enorme mapa. Desde o primeiro game, ao se encontrar um inimigo, o jogo muda para a tela de combate, mostrando seus guerreiros do lado direito e a tropa de inimigos do lado esquerdo, muito diferente de jogos, por exemplo, da série Phantasy Star (que é outra que em breve deve pintar por aqui).

Sendo por turnos, basta definir suas ações no turno dos seus personagens, aguardá-los atacar e depois esperar a vez do inimigo. Nesse primeiro game a coisa rola de forma muito devagar, o que automaticamente cansa rapidamente qualquer um que comece o jogo, até mesmo os mais velhinhos. Portanto, se não tiver tempo nem paciência, recomendo que nem tente jogar Final Fantasy do NES.


Black Mages dominam a fina arte de TORRAR inimigos

Ainda sobre a mecânica do jogo, mas fugindo do campo das batalhas, o menu do game também tem seus diferenciais. Cada personagem tem alguns slots para depositar desde armaduras e armas, bem como itens em comum. As magias do jogo, diferente de jogos mais atuais, são compradas em lojas especializadas em magias brancas e negras (acima da lojinha tem um ícone de cajado, em azul é white mage e em preto, black mage). Cada level avançado pode abrigar 3 magias diferentes (a loja sempre vende 4 delas, obrigando o jogador a escolher sabiamente), sendo que seu uso também é limitado à 3, valor que pode ser renovado ao se usar determinados itens ou dormindo em algum INN.



Mesmo com suas diferenças e pelo fato de ter envelhecido mal, Final Fantasy do Nintendinho é bacana. Gasta-se um enorme tempo no início do game, evoluindo, juntando dinheiro e comprando as melhores magias e armas, mas, passado isso, o jogo flui de uma maneira legal e envolvente. Tá certo que a lentidão do mesmo também cansa, mas é preciso saber que, pra jogar um game desse naipe hoje em dia, é requerido no mínimo muita paciência. Não arrisque se não tiver tempo nem saco, pois o jogo cobra bastante isso.

Resumão:
+ a história é bacana;
+ músicas e efeitos sonoros que atravessaram gerações nasceram aqui;
+ fator nostalgia elevado;
- sistema arcaico de evolução cansa qualquer um;
- visual pobre, até mesmo perto de seu maior rival no console, Dragon Quest;
- envelheceu muito mal;

Final Score: 6

19 comentários:

  1. Grande clássico do estilo, FF1 é o maior grinder da história. As dungeons são extremamente cansativas e as buscas por itens exigem que se upe constantemente. Uma batalha qualquer pode dar aquele game over no meio de uma caverna longuíssima em que você não salvava há 2 horas... é difícil e por isso mesmo recompensador. O warmech na ponte pra última dungeon é um dos chefes mais apelões de todos os tempos, e é preferível que se fuja dele, enquanto Chaos é um dos final boss mais difíceis de toda a franquia. realmente, FF1 é apenas pros fortes. a versão em GBA nada ajudou pra torná-lo, mais amigável... eu subiria a nota prum 7,0 fechado por causa do pioneirismo do sistema de jobs com personalização de magias.

    ResponderExcluir
  2. Você resumiu Final Fantasy com uma palavra - Paciência!

    Faltou muito dela quando joguei a primeira vez. RPG é uma lance que você precisa simpatizar, ele tem que atrair a atenção, caso contrário, não rola.

    Eu não sei se conseguiria jogando até o fim, não joguei nem o FFVII, olha que ele é considerado o FF top xD.

    Postagem fodona Cosmão =)

    ResponderExcluir
  3. Levando em conta quando o jogo foi lançado, eu gostei bastante do Final Fantasy I. A única coisa que realmente me irritou foi o combate, porque se você não calcular o dano direitinho e um inimigo morrer, digamos, num ataque do segundo herói e você tiver mandado o terceiro atacar o mesmo cara, ele ataca o vazio! Muuuuuuita raiva disso!

    E claro, Phantasy Star I é bem melhor que FF I :P

    Uma coisa interessante é esse lance de montar o grupo escolhendo classes. Tem gente que faz bizarrices, tipo montar um grupo só de black mages, rs... deve ser divertido zerar assim, é preciso montar estratégias completamente diferentes.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo post cara! A tempos queria uma review desse tipo do primeiro título de FF 1! Não tive a paciência de jogar ele ainda... Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo blog e pelo post. Comecei a acompanhar sites e blogs retrô a pouco tempo, mas ler sobre jogos que marcaram nossa juventude é muito bom !!! Esse daí não joguei, comecei com um Master System e era muito novo pra curtir rpg (nem entenderia o conceito na época), comecei a jogar rpg somente no playstation, até o SNES o negócio era plataforma, esportes, lutas, corridas, tudo... menos rpg !!!

    Felizmente, pena que tardiamente, comecei a jogar FFVIII no PSX e depois de um tempo tinha pegado gosto pela coisa, além dos FFs, terminei uns 15 rpg do PSX, não só uma vez, mas várias vezes (Vagrant Story foram umas 15 vezes!!!), enfim, parabéns novamente pelo post !!!

    ResponderExcluir
  6. um dos melhores FF, zerei esse 5 vezes de cabo a rabo e sempre de dá vontade de zera-lo novamente.

    ResponderExcluir
  7. Gosto muito da série Final Fantasy e joguei muito este clássico, tenho o cartucho até hoje em minha coleção.
    Parabéns pelo post Cosmão, seu site é muito mas muito bom, estou sempre por aqui acompanhando estas relíquias!
    Grande abraço !!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Aí Marcelo, também zerei algumas vezes e ainda possuo o cartucho. Grande clássico. A franquia de RPG mais conhecida e acompanhada pelos seus fãs até os dias de hoje.

      Excluir
  8. Belo post Cosmão está ai uma série que joguei muito mas que hoje em dia ela perdeu um pouco da fantasia mas tirando isso de lado esse clássico do Nes cheguei a jogar mas não fui muito longe.Mas depois de muito tempo eu cheguei a jogar o remake que saiu para o ps1 Final Fantasy Origin contendo os dois primeiros títulos da série.
    Eles é um dos mais difíceis da série que eu cheguei a jogar com cada chefes mais foda que o outro a versão de ps1 ficou show de bola com as melhorias que fizeram tenho que jogar a versão de gba que tem coisas extras a se fazer depois que você zera.

    ResponderExcluir
  9. Fala Cosmão, grande post. Até o ano passado nunca tinha jogado nenhum Final Fantasy e resolver me redimir começando com o Final Fantasy 1 (este do seu post). Joguei a versão de play1 e sério mesmo, deve ter uma diferença absurda da primeira versão do nes para essa do play 1, pois acho que o jogo beira a perfeição. É um jogo maravilhoso com todos os elementos e clichês que todos os bons RPGs possuem. Na verdade, nunca joguei essa versão do nes mas assim como The Legend of Zelda 1 e The Legend of Zelda - Ocarine of Time (na minha opinião, beiram a perfeição) este Final Fantasy 1 (de play1) merece nota 10 facilmente.

    Sério, o pessoal da Square deveria estar com sangue nos olhos quando fizeram este jogo. Realmente, não foi a toa que Final Fantasy salvou a empresa.

    Claro, o jogo tem tudo isso ainda que vc falou, como paciência (muita paciência). Sério, aquelas batalhas aleatórias são infernais. Principalmente quando vc está com pouco hp, louco para encontrar uma vila, mas surge uma batalha, vc perde e perde todo o progresso que tinha feito (é muito frustrante, o que te dá vontade ainda mais de se superar rsrs). A dificuldade é absurda no jogo (principalmente em algumas dungens, tem que treinar muito). Fora a última dungen que vc enfrenta todos os chefes e depois Chaos, na boa, é um dos chefes mais apelões de todos os tempos rsrs. Mas é um jogo que vale muito a pena ser detonado, gostei muito mesmo de zerá-lo.

    Joguei o Final Fantasy 2 também (via play 1) mas este eu já não curti muito. O sistema de evolução/experiência é horrível e extremamente cansativo. Tem que estar muito a fim para zerar este jogo. E a história é bem inferior (em se tratando de RPGs) do que a versão anterior.

    Estou pensando agora hein começar Final Fantasy 3, só não sei se pego o de DS ou de PSP rsrs. Só não comecei ainda pois, estou terminando de zerar o terceiro Fire Emblem do GBA consecutivo que jogo. Ô seriezinha boa essa. Bem que vc podia postar um dos jogos dessa série aqui no Shugames rsrsrs.

    P.S. As músicas estão muito boas, principalmente aquela do Templo de Chaos (uma das melhores músicas de games que já escutei na minha vida).

    Abraços Cosmão !!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses "Finais Fantasies" originais, principalmente as versões do NES, requerem que vc esteja em "estado de graça" pra poder apreciar. São realmente muitas batalhas aleatórias, o que acaba cansando.

      Excluir
  10. Análise fraca,você analisou o jogo como se ele fosse lançado atualmente ("envelheceu muito mal").
    Você só pode ser maluco pra dar 6 pra Final Fantasy 1.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá GF!
      Não, não sou maluco, apenas o comparei com outros jogos do mesmo estilo que saíram pro console, tanto no mesmo ano quanto próximos à ele.

      Tanto é que Dragon Quest I, na MINHA opinião, é muito superior ao primeiro Final Fantasy, mas respeito sua opinião.

      Excluir
  11. Também não concordo com esse "envelheceu muito mal". RPGs tendem a ser bem arcaicos nesse tempo e principalmente nesse console, com pouquíssimas exceções. Outro ponto citado foi o visual. Creio que FF na época foi muito inovador, porque ao invés de seguir o estilo em primeira pessoa mostrava os sprites com movimentação e sprites que o jogador tinha escolhido. Acho que isso também foi um ponto inovador na época.


    No mais, concordo com o resto da analise e é bem interessante ver esse tipo de análise hoje em dia, visto que são poucos que as fazem. Eu também achei o Dragon Quest superior ao primeiro FF, apesar de que esse exige ainda mais paciência do que o próprio FF. Agora aguardo uma análise do FF2 que pra mim é um dos mais injustiçados de todos.

    ResponderExcluir
  12. Sempre que vejo uma postagem falando sobre Final Fantasy 1 não consigo ficar de fora. Um jogo realmente marcante para quem jogou e zerou no NES. Até hoje possuo o cartucho, salientando que já possuia o Final Fantasy II do SNES, outro jogaço da franquia. Só depois que tomei conhecimento do FF1 e aí me tornei mais fã ainda do jogo. As pessoas reclamam da dificuldade mas precisam entender que é onde está a graça do jogo. Voce deve ser tático e paciente, para evitar ao máximo golpes no vazio, mortes de seus guerreiros e assim por diante.
    Sempre escolhi 2 Fighter's em razão de possuírem ataque e defesa bem balanceadas, 1 Black Belt que possui um ataque absurdamente alto e sem ajuda de armas e Red Mage, que possui magias úteis e um bom ataque físico. Inclusive quando enfrentava chefões e adversários muito difíceis, como o Warmech, citado pelo Diego Batera, eu jogava a magia FAST nos guerreiros, começando pelo Black Belt, que após virar Master, torna-se uma tática bem apelativa, não tem inimigo que resista. Um recurso que acho interessante e ainda não vi ninguém comentando é o fato de voce poder usar armas ou armaduras como magia. Eu costumava usar o bastão Wizard para deixar os inimigos confusos, a luva Zeus como magia de ataque e assim por diante. É por isso que o jogador deve ser tático e paciente, pois a dificuldade exige esses requisitos.
    Muito importante esta sua postagem Cosmão. Sempre estarei prestigiando seu blog e farei comentários do Soul Blazer que voce colocou em Retronados. Jogo fantástico que zerei e ainda possuo o cartucho.
    Gostei das postagens da galera e também discordo da nota 6, mesmo tendo zerado o Dragon Quest (também possuo o cartucho) e o Phantasy Star I. São jogos fantásticos mas que não desqualificam o FF1.
    Até a próxima e fiquem com Deus.

    ResponderExcluir
  13. Muito bom esse site:
    http://www.finalfantasy.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Gostei bastante desta análise que você fez, porém, bem que você poderia ter falado mais de alguns pormenores do jogo. Eu sei que dá trabalho, e, este jogo não merece tanto respeito quanto o clássico Chrono Trigger, mas, é Final Fantasy! Eu estou finalmente realizando o meu sonho de terminar todos os jogos da série e estou jogando o jogo original neste momento, para depois, sofrer com o segundo, que é horrível pra evoluir por completo. A evolução dele é muito louca, mas, não quero saber de nada. Eu quero terminar ele 100%, assim como, o terceiro e último de Nintendo, e, só então, jogar os de Super Nintendo. Eu já terminei os dois primeiros em versões para celular, exceto a evolução do Final Fantasy II, pois, eu perdi os "saves". Excelente blog. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, vc é corajoso hehehe! Encarar, HOJE EM DIA, esses jogos iniciais da série Final Fantasy pra NES não é pra qualquer um!

      Excluir